AM tem grande potencial para revelar novos investidores na Bolsa

O grande número de empresários na capital amazonense despertou o interesse de corretoras do Sul e Sudeste, que desejam implantar em nível regional a cultura de se investir na Bolsa de Valores, alcançando também a população das classes mais populares. Segundo o coordenador do MBA Executivo da Universidade Gama Filho, José Carlos Reston Filho, o Estado tem grande potencial para revelar novos investidores.Veja a entrevista na íntegra.

Jornal do Commercio – Qual o primeiro passo para os investidores das classes mais populares?

José Carlos Reston Filho – A sugestão que eu dou é que esses pequenos investidores se associem a uma corretora de valores e, a partir das análises financeiras, vá utilizando um dinheiro que sobra no fim do mês para incrementar os investimentos e compor uma carteira segura.

JC- Recentemente o Banco Central divulgou que a melhor carteira para se aplicar é o tesouro direto. Como uma pessoa com renda média de até R$ 3.000 pode investir?

Reston – O TD (Tesouro Direto) é um modelo de negociação de títulos de dívidas públicas que o Banco Central põe à disposição do pequeno investidor, a partir do qual poderá ter acesso à compra de letras do Tesouro Nacional com diferentes tipos de indexação. A operação é bem simples: o investidor vai até o gerente do banco de escolha e solicita sua inclusão no cadastro no TD. A partir daí, ele recebe um login e uma senha que dará acesso ao endereço www.tesourodireto.gov.br, onde o próprio interessado faz a escolha pelo título no qual deseja investir, escolhendo entre as notas ou as letras para fazer a aquisição.

JC- A compra das ações será realizada através da agência bancária?

Reston – O banco será apenas uma representação legal para efeitos de cadastro que permite ao investidor fazer aquisições de título pelo Tesouro Direto.

JC- Quais as vantagens de aplicar no TD?

Reston – Diria que o TD é uma das aplicações mais seguras, porque o governo brasileiro não dá calote nos títulos públicos há muitos anos. Desde 1994, nunca mais se teve esse problema. É importante observar a modalidade da nota ou da letra que será comprada agora, a fim de fazer a opção correta. A Selic, taxa de juros que regula a economia brasileira, vem caindo. Toda segunda quarta-feira do mês, o Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central divulga uma queda e a estimativa para o próximo período. Então, todo título público vinculado a Selic, não é interessante comprar, justamente devido a essa tendência à queda.

JC- Como o governo poderia incentivar a entrada de novos investidores das classes mais populares?

Reston – Não resta dúvida que a utilização do dinheiro retido no FGTS para investimentos em ações significa um negócio muito bom. Essa seria uma boa saída. A Bovespa (Bolsa de Valores do Estado de São Paulo) tem feito esforço de popularizar o investimento em ações na região Norte, onde acreditamos ter um mercado potencial de investidores. No eixo Sul-Sudeste, isso já tem mostrado resultados expressivos. Quando a gente trouxe os agentes da Bovespa e das corretoras de valores no fim de agosto, ficou claro o potencial do Amazonas, mas existe uma total falta de cobertura e divulgação dessas instituições em relação ao mercado local.

JC- Quais os resultados desse encontro?

Reston – Durante o evento, 450 pessoas preencheram cadastro para começar a investir em ações, o que nos aponta que em até cinco anos já teremos um resultado interessante que pode funcionar como chamariz para outros investidores.

JC- Como o senhor encara o desafio de popularizar aplicações na Bolsa de Valores em uma capital que é a segunda do Norte onde mais se compra títulos de capitalização?

Reston – Eu não considero título de capitalização como investimento, mas como loteria, um bingo voltado para pessoas que gostam de jogar, algo que não serve para investidores. Os títulos de capitalização devolvem

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email