Alternativa de tecnologia social ajuda na agricultura familiar

Um canteiro produtivo, em cujo centro há uma criação de frangos e, no entorno, uma produção de legumes e verduras

A nova tecnologia, conhecida como PAIS, está sendo implementada junto aos Consórcios de Segurança Alimentar e Desenvolvimento Local (Consads) – uma das políticas de segurança alimentar e nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Um canteiro produtivo, em cujo centro há uma criação de frangos e, no entorno, uma produção de legumes e verduras. A irrigação é feita por gotejamento – sistema que economiza água e energia e gera aumento de produtividade. Agrotóxicos, inseticidas, queimadas ou desmatamentos não são utilizados.
Assim funciona a tecnologia social PAIS (Produção Agroecológica Integrada e Sustentável), uma nova alternativa de trabalho e renda para a agricultura familiar. A PAIS possibilita, ao produtor rural que queira melhor a qualidade da própria produção, o cultivo de alimentos mais saudáveis, tanto para o consumo próprio quanto para a comercialização. Implementada junto aos Consórcios de Segurança Alimentar e Desenvolvimento Local (Consads) – uma das políticas de segurança alimentar e nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) – a tecnologia agroecológica já está implantada em 292 Municípios de 9 Estados.
A meta do projeto é beneficiar, até 2011, mais de 1.000 famílias. Em Piripiri (PI), a família do agricultor Francisco Sales dos Anjos já foi atendida. “No meu canteiro a produção é diversificada. Planto alface, pimentão, tomate, mamão, maracujá, cheiro verde, maxixe”, diz ele. Além do sustento da casa, Sales já está conseguindo comercializar parte da produção. “Vivemos muitas dificuldades aqui e a PAIS está sendo a nossa salvação”, ressalta ele.
O diretor da Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS, Marco Aurélio Loureiro, explica que esse tipo de canteiro tem como objetivos melhorar a oferta de alimentos consumidos pela família e criar possibilidades de um excedente de produção para ser comercializado, aumentando a renda das mesmas. Exatamente com vem acontecendo com família de Francisco dos Anjos. Loureiro lembra que o que caracteriza a PAIS como tecnologia social é sua alta capacidade de ser replicada por um custo muito baixo. “O resultado é espantoso, de grande êxito. É como a cisterna de captação de água, que atenua os efeitos da seca no Nordeste, e o soro caseiro, que combate a desidratação e a mortalidade infantil”.

Boa novidade

O número de beneficiários da Tecnologia Social vai aumentar. Por meio de edital público, o Ministério do Desenvolvimento Social vai disponibilizar, para o biênio 2010/2011, recursos de até R$ 3,5 milhões para investimentos na PAIS. Participam da seleção integrantes da Administração Pública Estadual Direta ou Indireta que tenham cadastrado suas propostas no SICONV (Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasses) do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. A data limite para inserção de propostas no SINCONV foi 4 de março.
Mais informações podem ser obtidas por meio do site do MDS: www.mds.gov.br

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email