As ações de empresas com grande exposição ao e-commerce engataram uma forte trajetória de recuperação após o pico de temor no mercado, provocado pela pandemia de coronavírus, e acabaram se tornando “vencedoras” na crise, com os consumidores passando a comprar cada vez mais nos canais online em meio às medidas de isolamento social.

No acumulado de 2020 até o fechamento da última terça-feira (21), as ações das companhias do setor registram ganhos de ao menos 75%, enquanto o Ibovespa tem queda de 9,80% no mesmo período: a B2W é a maior alta do índice no ano, com ganhos acumulados de 89,68%, sendo seguida pela Via Varejo, com salto de 84,60%, enquanto o Magazine Luiza tem alta de 76,73%. A Lojas Americanas , acionista controladora da B2W, em alta de 37,55% em 2020.

Com esse forte desempenho dos papéis, o questionamento que fica é até onde eles podem ir na Bolsa e qual será o futuro do e-commerce passada a pandemia. E, de acordo com visões recentes de diferentes casas de análise, alguns papéis do setor podem ter subido demais – enquanto outros ainda apresentam oportunidades, principalmente por terem um valuation menos esticado.

Apenas nessa semana, Bradesco, XP Investimentos e Safra destacaram possuir recomendação de compra para a Via Varejo, tornando-se um consenso entre as três casas de análise, segundo reportagem do InfoMoney.

O BBI ainda reiterou a recomendação para as ações de Magazine Luiza e da B2W como neutra, permanecendo com recomendação de compra para a Lojas Americanas. Na mesma linha, a XP reduziu Magalu para neutro, permanecendo com as recomendações neutra para B2W e de compra para os ativos da Lojas Americanas.

E-commerce deve manter crescimento

Na quarta-feira (22), a B2W anunciou aumento de capital no montante de R$ 4 bilhões. Segundo a companhia, o aumento permitirá a aceleração do plano estratégico de crescimento, incluindo eventuais aquisições estratégicas, “mantendo o compromisso de geração de caixa”. A Lojas Americanas se comprometeu a exercer o direito de preferência para a subscrição das ações, na proporção da sua participação no capital.

Ainda de acordo com a publicação, a expectativa dos analistas para o segundo trimestre é de que os resultados devam ser impactados pelo fechamento das lojas físicas, mas que a “execução impecável” do e-commerce compense parcialmente esse cenário, uma vez que a companhia acelerou as suas vendas diretas, com ênfase em fornecer ferramentas digitais para que a sua equipe venda produtos para a base de clientes.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email