Trends: Suellen Amorim faz da realidade um realismo fantástico

Compartilhe:​

Ainda jovem, Suellen Amorim descobriu o talento; a arte; as técnicas; a sensibilidade; a dor e o recomeço. E agora está descobrindo o sucesso. Ou melhor, o mundo está descobrindo Suelen. Artista plástica e visual, ela está se preparando para expor, pela segunda vez, algumas de suas obras na Europa. Com a tela que fez sob encomenda para um juiz, ela atravessa o oceano novamente, agora rumo a Madrid, na Espanha. “A obra ‘Irmãs’ vai participar de uma exposição na Europa. Será a segunda obra minha no continente”, explica a artista, que foi a convidada especial do Trends JC desta quarta (9).

Quando criança, Suellen descobriu a pintura na escolinha. Ainda em guache. Gostou de praticar e foi estudar sozinha para aprender a pintar, com a ajuda dos livros técnicos. Descobriu-se atraída pelo realismo e, hoje, arrisca-se em outras técnicas, mas gosta mesmo de retratar a realidade com realismo, sem esquecer de imprimir seu toque de fantasia. Afinal, a realidade é melhor na arte. “Gosto de retratar as coisas e as pessoas com bastante cor e trazendo referências simbólicas. Falando e deixando uma mensagem através da arte”.

Das telas pintadas com tinta guache pelas mãos infantis, Suellen foi se aperfeiçoando. Ao se mudar com a família para o município de Silves, viu-se aprisionada sem muitas oportunidades de estudar arte, então se valeu da biblioteca técnica do pai, também aficionado pela arte. “Eu pegava os livros dele e fui aprender sozinha a técnica de pintura. Aprendi sobre o realismo; sobre as tintas e superfícies de pintura, ali, sozinha”, lembrou.

A partir daí, especializou-se em fazer arte sob encomenda. Hoje, ela está construindo seu acervo próprio, que fará parte de uma exposição. “Pretendo realizar uma exposição em breve em Manaus. Quero ter reconhecimento do meu trabalho aqui, como também no mercado internacional”, projetou.

Pandemia 

Foi na pandemia que a dor a abateu e quase a tirou do caminho da arte. Ela, que pensou em desistir em meio à tristeza, resolveu continuar apenas para cumprir suas encomendas e se viu salva pelo seu talento e sua arte. “Perdi meu primo e meu tio. Fiquei tão triste que não quis mais saber de pintar. Resolvi apenas atender aos pedidos já aceitos de criação sob encomenda. Até que a arte voltou para mim. Comecei também a escrever poesias e hoje voltei a pintar com alegria e com esperança”, contou.

Em julho deste ano, Suellen participou de uma exposição em Portugal com a obra “Amor de Mãe”. Foi com as redes sociais que a artista conseguiu chegar tão longe. “Foi em uma conversa via ‘direct message’ que recebi esse convite. Fiquei surpresa e, até agora, é difícil de acreditar que fui escolhida para participar desses eventos tão importantes. Sou muito grata e minha expectativa é imensa”, revelou. A exposição de Madrid será em dezembro próximo.

A artista, que é fã de Van Gogh e sonha com o reconhecimento internacional (está no caminho certo), ainda atende a encomendas (que podem ser feitas via contato direto com ela pelas redes sociais). Ela se exauriu com tantos sentimentos dúbios pela perda. Mas, mandou avisar que já se preencheu novamente e está pronta para se derramar novamente em novos quadros.

Para assistir à entrevista na íntegra, é só acessar as redes do Jornal do Commercio no Facebook e Instagram ou o portal: www.jcam.com.br.

Lílian Araújo

Lílian Araújo

É Jornalista, Artista, Gestora de TI, colunista do JC e editora do Jornal do Commercio

Qual sua opinião? Deixe seu comentário