PL de Roberto Cidade busca tornar o transporte público mais seguro e humanizado

Compartilhe:​

Tornar o trânsito mais humanizado e seguro é um desafio comum a todos, em razão disso o deputado Roberto Cidade (UB), presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), apresentou o Projeto de Lei nº 56/2023 que determina que as empresas concessionárias do serviço de transporte público de passageiros promovam a capacitação e a reciclagem de condutores, cobradores e fiscais para gerenciar situações de discriminação, racismo, violência doméstica e familiar; atos libidinosos e/ou crimes sexuais praticados contra vítimas vulneráveis.

“Dezenas de milhares de pessoas utilizam o transporte todos os dias em Manaus e em outros municípios do nosso Estado e os problemas da sociedade, muitas vezes, se repetem ali também, entre uma viagem e outra. Nosso PL tem o objetivo de fazer com que os funcionários que estão nos coletivos e nessa atuação mais próxima aos passageiros tenham meios e conhecimento para fazer as abordagens e os encaminhamentos necessários. A responsabilidade por um trânsito e por um transporte público mais seguro e humanizado passa pelas leis e a nossa proposta tem esse objetivo”, afirmou Cidade.

Conforme o PL, as técnicas e os procedimentos ensinados aos condutores, cobradores e fiscais nos cursos de capacitação e reciclagem deverão promover a sua segurança e a dos passageiros, a fim de lhes assegurar a integridade física e mental, não podendo elevar os riscos ou expô-los a situações de perigo.

Dessa forma, os cursos de capacitação e reciclagem devem ter como foco noções básicas de primeiros socorros e redução de riscos; procedimentos de segurança em situações de ameaça, discriminação, racismo, violência doméstica e familiar, atos libidinosos e/ou crimes sexuais praticados contra mulher, criança, adolescente, pessoa idosa e pessoa com deficiência; telefones e endereços dos órgãos de proteção policial e resgate, bem como da rede de proteção aos grupos em vulnerabilidade, entre outros relacionados à proteção da vida.

O PL prevê, também, multa de R$ 10 mil a R$ 50 mil às empresas que descumprirem a orientação a serem aplicadas pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados e Contratados do Estado do Amazonas (Arsepam).

 Pesquisa de 2022

Ao menos 32% das mulheres passaram por situações de importunação sexual em transporte público no Brasil. Os dados são da pesquisa realizada no ano passado pelo Instituto Patrícia Galvão e Inteligência em Pesquisa e Consultoria Estratégica (Ipec), com apoio da Uber.

 

Prefeitura de Manaus promove ação educativa de trânsito no Terminal 5

Foto Karol Silva/IMMU

Em mais uma ação relativa à campanha “Maio Amarelo”, a Prefeitura de Manaus, por meio do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), promoveu, nesta terça-feira, 9/5, a distribuição de materiais informativos e orientações no Terminal de Integração 5 (T5), no bairro São José Operário, zona Leste. A iniciativa visa a abordagem de pedestres e trabalhadores do transporte público da capital sobre a importância de obedecer as regras de trânsito para evitar acidentes.

A ação contou com a participação de empresas de ônibus como a Expresso Coroado e Viação São Pedro, além de representantes do Serviço Social do Transporte (Sest/Senat).

A chefe da Divisão de Educação no Trânsito do IMMU, Hanara Carvalho de Souza, frisou o interesse da população pela campanha.

“São informações que as pessoas sabem que são de interesse de todos: saber atravessar uma pista com segurança; que comportamento devem ter os atores do trânsito, seja ciclistas, motoristas ou pedestres; deve haver principalmente esta união para que o trânsito seja mais seguro”, destacou Hanara.

O técnico de Segurança do Trabalho da empresa Viação São Pedro, Romão Teixeira de Matos, afirmou que a educação de trânsito é essencial para redução dos acidentes. “Todo pedestre e condutor deve respeitar a sinalização, respeitar a faixa de pedestre. O ‘Maio Amarelo’ sinaliza que devemos trabalhar para minimizar os acidentes no trânsito”, enfatizou.

O “Maio Amarelo” é uma ação coordenada entre o poder público e a sociedade civil com a intenção de debater propostas de segurança para um trânsito melhor. As atividades surgiram no dia 11 de maio de 2011, quando a ONU decretou a Década de Ação para a Segurança no Trânsito. A partir disso, o mês tornou-se referência mundial para a realização das ações em todo o mundo.

Caubi Cerquinho

Caubi Cerquinho

é jornalista, editor da coluna Transporte, Trânsito e Cia

Qual sua opinião? Deixe seu comentário