UM LÍDER ORIGINAL

Você não é uma cópia, você não é um rascunho, você não é uma imitação. Você é um exemplar único e sem igual em qualquer lugar do planeta. Diante desta constatação, pare de se comparar com os outros, compare-se apenas com você mesmo.

Muitas pessoas que conheço estão em busca de fazer o que seus ídolos fazem, na vontade incansável de ter o que eles têm. Este desgaste físico, mental e emocional não leva a lugar nenhum, porque nunca serão o que eles são. 

Não existe nada de errado em aprendermos estratégias com pessoas que já conquistaram um nível mais acima e seguirmos com as mesmas ferramentas que nos facilita sobremaneira, pela certeza de terem dado certo no passado. 

No entanto, muitas vezes passa do campo do aprendizado sobre como fazer e entra na vontade ou na ação de anular a própria identidade para ser a pessoa com quem você aprende.

Um líder, tem a plena convicção de sua singularidade e respeita sua essência para que encontre o percurso mais coerente com seus valores. Ao colocar a sua pitada única, faz grande diferença em tudo o que constrói, dando uma tranquilidade interior de não precisar forçar sua natureza em ser o que não se é.

Uma autoconfiança fortalecida faz com que nos sintamos mais seguros diante da vida e certamente com maior compreensão de que sua autenticidade é o que fará de você um líder espetacular. É por essa força interior que vai conseguir expor opiniões e ideias, sem que pareça uma versão forçada de alguém.

Há algo por trás da confiança que está intimamente ligada para o seu fortalecimento: a autoestima. Uma autoestima adequada faz com que a pessoa se enxergue de uma forma mais confiante consigo mesma e não tenha a necessidade de fortalecer suas ações na imitação das atitudes dos outros.

Não existe nada de errado em aprendermos com grandes líderes da história e com os demais líderes ao nosso redor, o que fazer para tornar-se um influenciador de pessoas capaz de mobilizar seu time para resultados inimagináveis. 

O alerta deste artigo é sobre você manter sua originalidade, sobre não forçar sua personalidade para um jeito que não é seu. 

Lembrei de uma experiência que tive com uma consultora de estilo. Depois de um trabalho de análise sobre meu perfil e meus objetivos, ela me deu uma lista de coisas que eu não deveria usar, um pacote de tudo o que deveria deixar de consumir, uma imensa relação de errados. Eu olhei profundamente e entendi que o conhecimento técnico dela favorecia a estar certa, mas se eu realmente seguisse aquelas recomendações deixaria de ser eu.

Sobre aquele olhar técnico e profissional, muitos dos itens que me atraem posso passar inadequação ao padrão estabelecido, mas sinto-me mais confiante em escolher o que me faz bem ao invés de seguir uma lista do que não fazer para agradar ao externo.

Eu certamente estaria mais adequada se seguisse as recomendações da especialista, ao mesmo tempo estaria extremamente desconfortável comigo mesma. 

Este exemplo reforça este artigo porque muitas vezes estamos tão preocupados em andar sobre as regras dos outros que não ficamos atentos ao que nos faz bem de verdade.

Eu encontrei uma outra profissional da área que me compreendeu e conseguiu estabelecer uma linguagem mais próxima do meu objetivo e segundo meu olhar, mais aderente a minha forma de viver. 

Quero deixar registrado, eu acredito na qualidade técnica das profissionais que experimentei, mas cada uma delas com uma abordagem diferente e com uma forma de conduzir o trabalho com suas metodologias distintas. Sobre o olhar da moda, não sei dizer qual a melhor ou qual a pior, pois desconheço, mas sei exatamente quem atendeu minhas expectativas.

Fica a dica de que é preciso autoconhecimento e autoconfiança para não ser engolido pelas opiniões e padrões externos, e acabe por “vestir” o que não cabe em você para agradar seu entorno. Seja original. Sinta-se bem com quem você é. 

Essa experiência também reforçou em mim, a certeza de que na minha forma de aprender prefiro o caminho do que “alcançar” do que o que “evitar”. E você? Sabe como melhor aprende? 

Como líderes este exercício também nos tornará mais empáticos em acolher a individualidade de nossos liderados, compreender as diferenças individuais e nos forçar positivamente na busca de desenvolver nossas habilidades em sermos o melhor que podemos ser para também nos conectar melhor com os demais ao nosso redor. 

Melhore sim, arrume-se sim, mas o primeiro ao olhar no espelho e gostar do que vê, deve ser você. 

Para estimular a autoconfiança, algumas posturas e atitudes que contribuem com sua autoestima podem ser:

  • Sorria: Mostre esse sorriso e agradeça pelo dom da vida. A vida é um presente entregue todos os dias, basta que saibamos desfrutá-la;
  • Se conheça e reconheça as suas habilidades e pontos fortes: Faça o esforço de acreditar em si, na sua competência e nas suas capacidades, há coisas em você que você faz e realiza com excelência e as pessoas ao seu redor acreditam nisso;
  • Estimule-se ao desafio ou a algo novo: Crie um hobby ou estimule metas e prazos para realizar um desafio, o progresso faz com que tenhamos força de vontade em conquistar e conseguir fazer o que é necessário, a mente vai se fortificando e fortalecendo a ideia de confiança em si;
  • Aprenda a aceitar elogios: As pessoas nos observam o tempo inteiro, seja positivamente ou negativamente. Quando receber um elogio por algo que fez, agradeça. Agradeça genuinamente e não externalize pensamento de diminuição como: “não fiz nada demais”, “não fiz mais do que a minha obrigação”, “não precisa elogiar por isso”;
  • Compare-se apenas consigo: Queira mudar o que precisa ser mudado por você, não se compare com os outros, quem se compara com os outros o tempo inteiro, perde. Não tome postura de derrotado, queira vencer e se esforce para isso, compare-se todos os dias com o seu eu do passado e avalie onde quer chegar no futuro.

Há uma frase, cujo autor é desconhecido, que diz: “Um pouco mais de confiança em você mesmo e tudo se torna mais claro, fácil e atingível.”

Confie em você mesmo, acredite antes de realizar e tudo o que você fizer, estará culminando para que você consiga criar em si a força e a coragem que precisa. Lembre-se todos os dias de ser você!

Cintia Lima

Psicóloga, Mentora de Líderes e Master Coach

@psi.cintialima

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário