Câmara homenageia pescadores

Por iniciativa do vereador William Alemão, a Câmara municipal de Manaus homenageou nesta quinta, dia 29 diversos pescadores de Manaus.

Muitos pescadores profissionais, que sustentam suas famílias com a pesca regular, foram contemplados neste dia do pescador. A homenagem fez uma referência velada ao patrono da Pesca, o apóstolo Pedro, que pescou muito mais que peixe.

Participantes de torneios de pesca esportiva em várias edições também foram contemplados pela Câmara com diplomas de Honra ao Mérito em solenidade que aconteceu no plenário desta casa do povo. O vereador William é um defensor ferrenho deste tipo de esporte, porque segundo ele, traz múltiplos benefícios à atividade econômica, principalmente para os ribeirinhos que moram próximo aos lugares piscosos.

TURISMO E ECONOMIA

A pesca esportiva, do tipo pesca e solta, vem conquistando mais adeptos no mundo todo. Nos Estados Unidos, o total que se movimenta só nesse nicho, fica perto de 120 bilhões de reais, enquanto no Brasil a renda do turismo como um todo 270 bilhões. O prazer de pescar um peixão, fotografá-lo e devolvê-lo a seu habitat, movimenta não somente as fábricas de carretilhas, molinetes, linhas e anzóis, como também a de botes, roupas especiais, passagens aéreas e a hotelaria. O Polo Industrial de Manaus, que já possui uma razoável produção de botes, também  tem tudo para trazer grandes fábricas todos os demais artefatos de pesca. 

ECOLOGIA

Impressionante ver como os ribeirinhos, que servem de piloteiros, recebem verdadeiras aulas práticas sobre ecologia dos pescadores, além do pagamento. A experiência destes pescadores, que visitam muitos locais, é de fundamental importância para manter a consciência da natureza sustentável para o morador dos beiradões. A pesca esportiva, por devolver o peixe a água beneficia a natureza.   

A pesca tradicional é uma fonte de sobrevivência de todos os povos do estado e, portanto, da capital que a câmara representa. Embora haja uma tendência em estimular os criatórios de peixes, a pesca tradicional persiste (jamais vai parar) sempre mais orientada, com vistas para que seja cada vez menos predatória. A criação de peixes é estimulada cada vez mais tanto como uma atividade econômica, como um meio de preservar os peixes durante a desova. Peixes tradicionais, também consumidos em Manaus como o bacalhau e o salmão não são mais produtos da pesca comercial, mas de criatórios, a maioria em tanques-rede, em pleno mar. 

A natureza é cruel. Estima-se que apenas 2%dos peixes que nascem, conseguem escapar dos predadores e chegar à idade adulta. A pesca esportiva sempre vai escolher rios, lagos e o próprio mar para acontecer. Os peixes para alimentação provém cada vez mais dos criatórios, onde os alevinos são protegidos contra predadores.

Enfim, eventos como as promovidas pelo vereador William Alemão, visam chamar a atenção para as mudanças que estão acontecendo neste setor. A pesca, ligada à sobrevivência da humanidade, também tem sido usada como tema da fé cristã. Ao prestigiar uma das mais antigas formas de sobrevivência, relatada em vários lugares da bíblia, deve estar recebendo a aprovação do Criador. ( Luiz Lauschner)

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário