Alemanha em crise, mas mandando por aqui! Até quando?

Isso não é de hoje! Que eu saiba, já vem desde 2003 (pode ser até antes). Vejo deputado federal querendo colocar todos os problemas do nosso Estado no colo do atual governador Wilson Lima. Não é justo! Isso já passou por Eduardo, Omar, Melo, David e Amazonino, e como o Wilson Lima continua adotando o mesmo método dos ex-governadores na área ambiental a pobreza vem aumentando, estado travado, exportando quem quer empreender para estados vizinhos, e os países em crise, como Alemanha e França, mandando por aqui e no Brasil. Mas Wilson tem três anos para fazer diferente, os outros já passaram e aceitaram o que vem de fora sem se impor em razões dos bilhões que já mandaram para cá e continuam mandando sem mudar em nada a vida humana de quem habita esta região.

Ou muda, ou teremos que nos mudar, porque a pobreza crescente agrava a saúde, educação e a segurança… alguns comentários em tópicos:

  1. Vi nas apresentações da SEMA a logomarca que aparece nos slides no canto baixo à esquerda…”cooperação alemã…”;
  2. Vi em duas postagens (SEMA e Portal CM7) que é a ALEMANHA (que já desmatou, polui o planeta e está em crise) que vem avaliar os projetos ambientais em andamento no Amazonas, em Humaitá (área própria para produção de grãos). Isso na minha cabeça é inaceitável!
  3. Vi, no Jornal VALOR, a crise no AGRO na Alemanha e também na FRANCA;
  4. Alemanha e França em crise no AGRO, economias que esquentam o planeta, mas dão as cartas por aqui;
  5. Mais de R$ 3 bilhões do Fundo Amazônia distribuído entre ONGs que travam o Amazonas;
  6. As fotos mostram a ministra Marina sorrindo ao lado da Alemanha, na Suíça, no Pará desmatado, e cara trancada ao lado do governador Wilson Lima quando visita o Amazonas preservado, travado, com bolsa de miséria e milhões de pobres;
  7. Essa mesma Alemanha que manda no Brasil, na Amazônia e Amazonas ambiental (para travar nossa economia, isolar, manter bolsa de miséria e não sermos concorrentes no mercado mundial) é a mesma que não deixa os bilhões do Fundo Amazônia asfaltar a BR-319 e fazer o ZEE;
  8. Procurem saber para onde está indo os R$ 78 milhões do banco alemão KFW. Pelo que vi na imprensa está indo para a FAS, ONG com sede em Manaus que não quer o asfaltamento da BR-319 e não quer o ZEE. O estado quer o ZEE e o asfaltamento da BR-319, então, não faz sentido dar aval desses milhões para ONGs. Erro grave!
  9. Procurem saber quem foi o secretário de meio ambiente que deixou a secretaria para assumir a FAS lá em 2007 (acho que foi esse ano ou perto disso);
  10. Procurem saber qual a origem do atual secretário de meio ambiente? Onde trabalhava antes de ser secretário? Será que veio da mesma ONG que está indo os R$ 78 milhões? Se for, penso que seria um público/privado que poderia ser evitado. Eu, que já fui gestor por mais de dez anos, não aceitaria nem ficaria no cargo;

Se o Amazonas não estivesse chegando a 70% sem ter o que comer certamente não insistiria no assunto que tem a única intenção de destravar a nossa economia e/ou ganhar dinheiro com a floresta em pé (dentro do código florestal). Contudo, desde 2003, não estamos seguindo nenhum dos dois caminhos. Narcotráfico e pobreza estão ganhando de goleada! Eduardo, Omar, Melo, David e Amazonino não tem mais a oportunidade de fazer diferente, só Wilson tem mais três anos para ter coragem e fazer as mudanças devidas, a começar pelo ZEE que seus subordinados não ligam para seus comandos e determinações, como fizeram com os outros governadores que passaram pela “Compensa”. Ignoraram! Não tenho a “caneta” da decisão, mas tenho a do “alerta”, e gosto do atual governador pelo que já fez e destravou pautas antigas do setor primário que eram esquecidas pelos EX, assim como também os EX esqueceram o setor primário. Hoje já temos o Garantia Safra, SISBI, parque em local definitivo, subvenção em dia, Plano Safra, mas na área ambiental tá igual desde 2003.Nosso povo precisa de ZEE, agilidade licenciamento ambiental, energia solar, internet, sementes, mudas, poço artesiano e assistência técnica virtual e presencial. Ampliar o Garantia Safra, pois secas e cheias serão recorrentes já que os países poluidores continuam nesse mesmo caminho e travando outras economias, como a do nosso Estado. Eles não querem concorrente, e nosso potencial incomoda muito, então, eles travam enviando recursos e ditando as regras. Veja no portal www.thomazrural.com.br várias imagens que comprovam o escrito acima. Espaço continua aberto a possíveis esclarecimento e ponderações. Tem e-mail e whatsApp.

29.01.2024Thomaz Antônio Perez da Silva Meirelles, servidor público federal aposentado, administrador, especialização na gestão da informação ao agronegócio. E-mail: [email protected]

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário