Venda de anúncios no Google desacelera

A Alphabet (controladora do Google) anunciou nesta terça-feira (28) os resultados financeiros referentes ao primeiro trimestre deste ano (Q1/2020). Ainda que a sua receita tenha aumentado 13% em relação ao mesmo período de 2019 (US$ 41,16 bilhões contra US$ 36,34 bilhões no ano passado), sua receita referente a venda de anúncios em março caiu de forma considerável, devido à crise gerada pela pandemia da COVID-19.

O lucro operacional do Google nesse trimestre foi de US$ 7,98 bilhões, um aumento de 20% em relação ao mesmo período do ano anterior (US$ 6,60 bilhões). Já o lucro líquido da companhia foi de US$ 6,84 bilhões (contra US$ 6.65 bilhões do Q1 de 2019, um acréscimo de pouco mais de 2,85%).

Dentro do faturamento de pouco mais de US$ 41 bilhões, a Alphabet registrou US$ 10,67 bilhões em receita líquida nesse último trimestre. Com esses resultados, as ações do grupo subiram 4% nas negociações fora do pregão. "Nossos negócios, liderados pelo Google Search, YouTube e Cloud, elevaram as receitas da Alphabet para US $ 41,2 bilhões, um aumento de 13% em relação ao ano passado, ou 15% em uma moeda constante", disse Ruth Porat, diretora financeira da Alphabet e do Google

No entanto, durante a conversa com analistas, Porat falou sobre a queda nas receitas de anúncios em março. "O desempenho foi forte durante os dois primeiros meses do trimestre, mas, em março experimentamos uma desaceleração significativa nas receitas de anúncios. Estamos aprimorando nosso foco em executar nossas estratégias com mais eficiência, continuando a investir em nossas oportunidades de longo prazo”, declarou a executiva, que não detalhou em números o tamanho dessas perdas.

Números desdobrados

Durante o anúncio, a Alphabet desdobrou as receitas geradas por cada produto da holding neste primeiro trimestre, além do Search. O faturamento gerado pelos anúncios no YouTube foi de US $ 4,04 bilhões, um número 33% maior do que o mesmo período do ano passado (US$ 3,02 bi); o Google Cloud (divisão de serviços na nuvem da companhia) também apresentou um ótimo desepnho, registrando US$ 2,78 bilhões, uma receita 52% se comparada a 2019.

Já no campo de "outras receitas" – que incluem as divisões hardware (Chromecast, linha Pixel, Home, etc), Play Store (aplicativos) e receitas não publicitárias do YouTube – foi registrado um faturamento de US $ 4,44 bilhões, um crescimento de 22% em comparação ao mesmo período do ano passado (receita de US $ 3,62).

Gargalos

Se os números em geral apresentaram crescimento, é no setor de "Outras Apostas", que a Alphabet continua a perder dinheiro. Neste primeiro trimestre de 2019, essa divisão apresentou uma receita de US$ 135 milhões, uma queda de 20% em comparação ao mesmo período do ano passado, quando o faturamento foi de US$ 170 milhões.

As perdas foram geradas, principalmente pela Verily Life Sciences (organização de pesquisa científica da holding) e pelo Google Fiber (provedor de internet via fibra ótica). De modo geral, o setor de "Outras apostas" registrou perdas de US$ 1,12 bilhão, um prejuízo 29% maior em comparação ao primeiro tri de 2019, que registrou perdas de US$ 868 milhões.

Fonte: Redação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email