Varejo aumenta volume de vendas em 6,6%

Em maio, o volume de vendas do varejo no Amazonas teve variação positiva de 6,6% em relação ao mesmo período do ano passado, embora tenha se mantido praticamente estável em relação a abril, quando o índice atingiu 6,9%, de acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Além disso, ao contrário do último relatório, o resultado foi maior que os 6,2% que correspondem à média nacional.
“Esse percentual representa um bom crescimento em relação a maio do ano passado e significa que o Mês das Mães deste ano foi positivo para o comércio local”, avaliou o coordenador de disseminação de informações do IBGE/AM, Adjalma Nogueira.
De acordo com o coordenador, além da data, o desempenho do comércio de peças, pneus e acessórios para veículos, da venda de materiais de construção e principalmente de produtos de informática e acessórios eletrônicos ajudou a puxar o índice mensal.
Já o volume de vendas do comércio ampliado – que inclui materiais de construção e veículos – apresentou crescimento de 8,4% em relação a igual período de 2010. “Com isso, maio foi um mês de recuperação desses segmentos do comércio que vinham puxando para baixo o índice nos meses anteriores”, explicou Adjalma Nogueira.
Outro resultado positivo foi o índice da receita nominal. Em maio, a variação de 11% ultrapassou a média nacional (10,7%). Em abril e março, o crescimento havia sido de 10,9% e 7%, respectivamente, no confronto com igual período do ano anterior.
Segundo o vice-presidente da Fecomércio/AM (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Amazonas), Aderson Frota, a tendência é de um crescimento pequeno, porém contínuo nos próximos meses, mesmo com a retração em virtude da alta taxa de juros vigente.
Para o presidente da ACA (Associação Comercial do Amazonas), Gaitano Antonaccio, a partir de agora, fatores sazonais como férias, início do verão e principalmente a intensificação das obras da construção civil vão contribuir para um incremento no varejo até o final do ano.
Até o momento, o Amazonas acumula um crescimento de 7,3% nos cinco primeiros meses do ano e de 9,2% nos últimos 12 meses.

Índice de inadimplência

Apesar do resultado satisfatório para os lojistas, Gaitano Antonaccio alertou para cuidados especiais com a inadimplência. “Com a intensificação da programação do comércio, a possibilidade de o consumidor comprar com descontrole cresce, a despeito das medidas do Banco Central. Isso pode acarretar problemas tanto para ele quanto para o comércio”, explicou o presidente da ACA.
O índice de inadimplência atualizado do Amazonas é 3,5%. De janeiro a junho deste ano, o Estado já contava com 3.556 pessoas inscritas na lista do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito).

País tem aumento de 12,1% na receita nominal

-Em maio, o comércio varejista variou 0,6% para o volume de vendas e 0,8% para a receita nominal, na comparação com abril. Já no comparativo com maio de 2010, a variação foi de 6,2% para o volume de vendas e de 10,7% para a receita nominal.
-Nos acumulados dos cinco primeiros meses do ano e dos últimos 12 meses, as taxas se estabeleceram, respectivamente, em 7,4% e 9,2% para o volume de vendas, e 12,3% e 13,4% para a receita nominal.
-O varejo ampliado teve incremento de 1,0% no volume de vendas e 0,5% na receita nominal. Comparado com 2010, as variações foram 12,8% para volume de vendas e de 14,5% para a receita nominal.
-No acumulado do ano e dos últimos 12 meses, o setor apresentou taxas de 9,2% e 10,5% para o volume, e de 12,1% e 13,4% para a receita nominal de vendas, respectivamente.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email