10 de agosto de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Vai começar a ‘Fórmula 1’ de rabetas no interior do Amazonas

Adrenalina em ponto de bala. Os competidores do 1º Velocasq do Manaquiri, torneio de casquetas, aguardam ansiosos a hora da largada, que acontecerá domingo, 26, a partir das 7h, nas águas mansas do lago Jaraqui, que banha a frente da cidade. O 1º Velocasq homenageia Anazildo Roque, um dos pioneiros a aperfeiçoar motores e principalmente as palhetas nesse tipo de veículo super rápido que serve não somente para o transporte do ribeirinho aos pontos mais distantes da região, como também para competir em animados torneios regionais.

“Elas correm mais do que as voadeiras e, lógico, das lentas rabetas, e gastando a metade do combustível desta última com o triplo de velocidade. Para se ter uma ideia dessa velocidade, de rabeta, da sede do Manaquiri até aqui a comunidade, gasta-se de 45 minutos a uma hora de viagem. Numa casqueta ‘tiramos’ em 20 minutos, e tem umas mais aperfeiçoadas que levam apenas dez minutos. Elas servem para trabalho, diversão e esporte”, falou Elizeu Santa Rita em entrevista ao Jornal do Commercio publicada no início do ano. Elizeu é aperfeiçoador de motores e palhetas de casquetas, e organizador de torneios regionais. Ele faz parte da comissão organizadora do 1º Velocasq do Manaquiri.

Elizeu revelou que os torneios que organiza geralmente reúnem, em média, 15 competidores do Manaquiri. Como a premiação do 1º Velocasq é muito boa, já estão se inscrevendo participantes do Careiro e de Autazes, por isso ele acredita que possam passar de 30 os inscritos. 

O maior torneio

Elizeu, “pela velocidade que as casquetas alcançam, podem passar por uma onda e ‘voar’
sobre as águas por cerca de 30 metros”

Para Eduardo Santos, secretário de Indústria e Comércio, Serviços e Turismo do Manaquiri, o objetivo deste primeiro torneio é promover um cartão de visitas de um futuro atrativo turístico do município.

“Por enquanto só estamos tendo o apoio da prefeitura, através do prefeito Jair Souto, mas queremos chamar a atenção de empresas que desejem explorar o turismo ecológico aqui na região, muito rica de belezas naturais. A ideia é que o torneio tenha várias etapas ao longo do ano e que o Velocasq se torne conhecido no Brasil e no exterior, atraindo turistas para movimentar a economia de nosso município”, destacou.

A cidade de Manaquiri está localizada às margens do rio Jaraqui, um afluente do Solimões, distante menos de duas horas de Manaus, numa viagem de Hajato, que partem diariamente da balsa amarela, no porto da Manaus Moderna às 7h, 9h, 11h, 13h, 15h e 16h rumo ao paraná do Manaquiri, uma via de águas. Durante o trajeto o Hajato vai parando em várias comunidades, deixando passageiros, e só essa viagem já se constitui numa diversão.

Eduardo lembrou que este será o maior torneio de casquetas já realizado naquela região, inclusive recebendo competidores de municípios próximos e aproveitando o know how de cada um deles e dos organizadores dos torneios regionais realizados em suas respectivas cidades.

“A competição será aqui na frente da cidade, num percurso de 1.200 metros, e poderá ser acompanhada por todos. As inscrições serão aceitas até o início das baterias”, adiantou.

Apenas 20 segundos

O Velocasq será dividido em quatro categorias: Amador 6,5 HP e 13 HP; e Força Livre 6,5 HP e 13 HP. Cada uma das categorias premiará primeiro e segundo lugares, e um dos maiores estímulos aos competidores é o prêmio que será pago aos vencedores, o menor, R$ 300, para o segundo lugar na categoria Amador 6,5 HP; e o maior, R$ 1.800, para o vencedor da categoria Força Livre 13 HP.

Eduardo, “a ideia é que o torneio tenha várias etapas ao longo do ano e que o
Velocasq se torne conhecido no Brasil e no exterior”

“Para se ter idéia da velocidade que as casquetas alcançam, um Amador 6,5 HP pode atingir até 35 milhas/hora (64 quilômetros/hora) enquanto um Força Livre 13 HP chega a 60 milhas/hora (110 quilômetros/hora)”, informou Elizeu.

E cada bateria durará aproximadamente 20 segundos, isso mesmo, 20 segundos, nos quais o piloteiro deverá mostrar as suas habilidades para vencer e rumar para a final.

“Não é um esporte para amadores, apesar de haver duas categorias Amador, mas mesmo esses piloteiros são bastante hábeis. Pela velocidade que as casquetas alcançam, podem passar por uma onda e ‘voar’ sobre as águas por cerca de 30 metros. Se o piloteiro não for hábil, não saberá controlá-la na hora que ela bater n’água novamente. Ainda tem os banzeiros, o vento forte, tudo isso são complicadores”, avisou.

As competições estão liberadas para maiores de 18 anos e, com 15 anos, somente com a autorização dos responsáveis.

“Abrimos esta exceção para menores porque tem muito ‘molecão’ aqui que faz loucuras nas casquetas”, disse.    

As baterias começarão às 7h de domingo, 26, e só acabarão quando a última acontecer. O regulamento das provas e outras informações podem ser solicitados pelo: 9 8425-5007.

Box

Onde se hospedar

Hotel Jacob, 9 9153-1271

Hotel Malaquias, 9 8805-4192

Pousada Lima, 9 9458-8520

Pousada São Pedro, 9 9441-4088

Onde comer

Restaurante Tucumã: 9 9412-3539

Restaurante das Coleguinhas: 9 9111-7474

Carne de Sol do Bulldog: 9 9334-8882

***

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email