Urucu produz 60% da energia de Manaus

Atualmente mais de 60% da energia distribuída na capital amazonense é gerada por uso do gás natural extraído da província de Urucu, no município de Coari. No setor industrial, 34 empresas do PIM (Polo Industrial de Manaus) já estão em pleno consumo, informou a Cigás (Companhia de Gás do Amazonas), durante coletiva, realizada nesta segunda-feira (27), sobre o avanço das obras de expansão da Rede de Distribuição de Gás Natural em Manaus.
De acordo com o diretor técnico comercial da Companhia, Clovis Correia Júnior as distribuidoras de gás natural, primeiramente atendem aos grandes consumidores, podendo assim viabilizar a rede a novos negócios. “O preço do gás natural ao consumidor final está diretamente relacionado com o custo das obras de expansão da malha de dutos. Para que a tarifa seja competitiva, precisamos expandir a rede de forma estratégica”, afirmou.
Clovis esclareceu ainda que a viabilidade econômica é avaliada a partir de diversos fatores, como a proximidade da rede já existente e o potencial de consumo que esse estabelecimento possui. “Portanto, quanto maior a demanda pelo combustível, mais vantajoso será o preço final para o cliente”, ressaltou o diretor técnico.
De acordo com a Companhia, além dos seis postos em Manaus que fornecem o GNV (Gás Natural Veicular), outros locais no comércio, shopping, hotéis e lavanderia já utilizam o gás.

Obras

Desde 2010, a Cigás já investiu mais de R$ 221 milhões em obras de expansão da Rede de Distribuição de Gás Natural em Manaus. Uma delas, iniciada em maio deste ano, no Conjunto Vieiralves deve chegar à avenida Djalma Batista ainda nesta semana.
Segundo Clovis, nas intervenções é utilizado um método onde não há necessidade de abertura de valas, a partir da perfuração do solo e implantação subterrânea do duto. “Aprimoramos nossos métodos para uma obra sem transtornos. Na Djalma Batista, seremos ainda mais estratégicos nos horários, pois é uma via principal”, disse o diretor técnico ao destacar, que o método reduz o impacto na pista e no trânsito.
Com aproximadamente quatro quilômetros, o novo trecho da rede já tem 30% das obras realizadas e interligará à malha já existente na avenida Constantino Nery passando pela rua Salvador, além das avenidas Maceió, Pará, Djalma Batista e Darcy Vargas. Segundo a Cigás, as intervenções, que ocorrem de domingo a quinta-feira, das 21h30 às 5h30 tem previsão de conclusão para setembro de 2016.

Produção

De acordo com a ANP (Agência Nacional de Petróleo), o Amazonas é o terceiro maior produtor de petróleo e gás natural do Brasil e responde por 15% de toda produção de gás em território nacional. A quantidade de gás no município de Coari, coloca o local como maior produtor terrestre de gás natural.
Em abril deste ano, foram produzidos no Estado 115.185 mil barris de óleo equivalente por dia, sendo 24.773 barris diário de petróleo e 14,37 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural. Em todo o país, a produção de gás apresentou um crescimento de 1,5% em relação ao mesmo mês de 2015.

Investimentos de R$ 135 milhões

Em quase seis anos de operação no Amazonas, a Companhia consolidou o fornecimento aos segmentos termoelétrico com investimento de R$ 135 milhões e avanço físico de 43 km nessa fase.
Na área industrial, na fase entre 2012 e 2013 a Cigás fez investimento de R$10,5 milhões com avanço físico de 5 km. Já entre de 2013 a 2015, a fase industrial 2 custou R$49 milhões com avanço de 29 km de dutos. De 2014 até hoje, a fase industrial 3 que envolve além do distrito, o trecho de Vieiralves teve avanço físico de 15 km com investimento de R$26,7 milhões.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email