Tributos levam boa parte dos presentes

As vésperas do Dia dos Pais, pesquisa divulgada pelo IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário) aponta que consumidor pode pagar até 78,43% do valor do presente em tributos. Segundo o presidente do instituto, João Eloi Olenike, a alta carga tributária pode inibir as compras.
O representante diz que “a alta carga tributária atribuída aos produtos é porque estes são considerados itens supérfluos”. Para ele, o perigo é que o preço tão elevado dos produtos possa restringir o consumo.
O empresário Francisco Monteiro concorda. Proprietário de uma importadora no Centro de Manaus, ele conta que uma câmera fotográfica, por exemplo, pode ter até 44,75% de seu preço acrescido devido aos impostos. “Nem sempre o cliente consegue entender o motivo de ser tão difícil trabalhar com muitos descontos”, se defende.
Um relógio de pulso tem a carga tributária superior a 50%, podendo chegar até a 55%.
Para manter o ritmo de vendas, a estratégia de Monteiro é trabalhar com a margem média de lucro. “Para mim, é mais importante vender mais produtos do que apenas um”, explica.
O assessor de economia da Fecomércio, José Fernando Pereira da Silva, lamenta que as taxas sejam cada vez mais altas, mas diz não contar com a diminuição no volume de vendas. “O consumidor que está disposto a gastar, vai pesquisar e adquirir aquilo que mais corresponde ao desejo”, arrisca.

Os tributos e a preferência do consumidor

Baseados no estudo de intenção de compra para o mês de agosto em Manaus, o Ifpeam (Instituto Fecomercio de Pesquisas Empresariais do Amazonas) deu destaque para os bens de natureza pessoal, como o setor de vestuário – que concentrou 30,3% das opções dos consumidores que pretendem presentear neste domingo.
Para uma calça jeans, o IBPT afirma que a tributação dada chega a 38,53%. O mesmo é observado em gravatas (35,48%) e camisas (34,67%). O setor de calçados, com 19% da intenção de compra para a data comemorativa – segundo o Ifpeam – amarga a taxa de impostos de 36,17%.
Quem optar por presentear com perfumes, os impostos são os mais altos. Apesar da pequena variação entre nacionais e importados, o produto ultrapassa 65% em tributos, chegando a 69,13% – para nacionais – e até 78,43% para importados.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email