Teatro Amazonas abre agendamento para espetáculos

Espetáculos de dança e música e a estreia de filme vão compor a programação do Teatro Amazonas na segunda quinzena de agosto. O acesso é gratuito, e o agendamento está aberto no Portal da Cultura (cultura.am.gov.br).

O equipamento cultural está funcionando com 50% da capacidade do salão de espetáculos, e os assentos na plateia e nas frisas são intercalados para manter o distanciamento.

Confira a agenda:

Terça-feira (17), às 20h

O CDA (Corpo de Dança do Amazonas) apresenta “Solatium”, espetáculo contemplado no Festival Funarte AcessibiliDança em 2021. As performances para 45 minutos de apresentação foram criadas pelo elenco da companhia em um período de isolamento social, inspiradas pela obra “Divertimentos”, de Mozart.

Quinta-feira (19), às 20h

A Amazonas Filarmônica sobe ao palco para o concerto “A Primavera de Vivaldi/O Idílio de Siegfried”. Durante 50 minutos, serão executadas obras de Antonio Vivaldi e Idílio de Siegfried, com uma breve análise do maestro Otávio Simões sobre detalhes da partitura de “A Primavera”.

Sexta-feira (20), às 20h

Em “O Velho e o Menino”, Adal e Adal Venâncio vão receber o violinista José Jonas Júnior e Banda, para um show com direção de Auxiliadora Farias, da Coari Produções. O setlist vem com músicas inéditas que contam a história de amor e felicidade entre o velho, o menino e a música.

Terça-feira (24), às 20h

O Balé Folclórico do Amazonas entra em cena com o espetáculo “Cores do Rio”, um trabalho de pesquisa conduzido pela diretora artística da companhia, Conceição Souza, e desenvolvido pelos próprios bailarinos sobre a realidade amazônica.

A apresentação vai ser transmitida pelo Facebook e YouTube da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e Facebook da TV Encontro das Águas.

Quinta-feira (26), às 20h

Com regência de Luiz Fernando Malheiro, a Amazonas Filarmônica vem com o concerto “Haydn, Sinfonia #100 ‘Militar’”. Em meia hora vão ser exibidas obras de um dos mais importantes compositores do período clássico, Franz Joseph Haydn.

A apresentação vai ser transmitida pelo Facebook e YouTube da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e Facebook da TV Encontro das Águas.

Sábado (28), às 20h

É no palco do Teatro Amazonas que acontece a estreia nacional do filme “A Última Floresta”, que retrata o cotidiano de um grupo Yanomami isolado em um território ao Norte do Brasil e ao Sul da Venezuela há mais de mil anos. O xamã Davi Kopenawa Yanomani tenta manter vivos os espíritos da floresta e as tradições, enquanto a chegada de garimpeiros traz morte e doenças para a comunidade.

A produtora Banksia Films é responsável pela produção do evento em Manaus.

Terça-feira (31), às 20h

A programação do mês fecha com a apresentação da Ovam (Orquestra de Violões do Amazonas), que, em 50 minutos, exibe um repertório de clássicos. A apresentação vai ser transmitida pelo Facebook e YouTube da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e Facebook da TV Encontro das Águas.

Tour por Manaus está em alta

Foto: Divulgação

Localizados no Centro Histórico de Manaus, o Palácio da Justiça, Palácio Rio Negro e Palacete Provincial estão abertos para visitas de 45 minutos, das 9h às 17h, de terça a sábado, com agendamento.

O Palácio da Justiça, na avenida Eduardo Ribeiro, traz detalhes da arquitetura em estilo renascentista e da história do Poder Judiciário do Estado, além de abrigar o Museu do Crime e exposições de diversas linguagens. As mostras “Caruanas – O foco repousa na força mística”, “Olhares Tumbira”, “Abraçando o Xapono”, “Severiano 90 anos” e “Arquiteotonicas” compõem o circuito de exposições da casa.

Com base na avenida Sete de Setembro, 1.546, o Palácio Rio Negro conta com 228 peças no acervo. Nas salas Antônio Bittencourt e Ephigênio Salles está a exposição “O Clamor da Mata”, de Pietro Bruno. Em 15 quadros, o artista plástico defende a preservação da cultura indígena, a flora e a fauna amazônica, ao retratar elementos do cotidiano, tradições indígenas e da Floresta Amazônica.

Com sede na Praça Heliodoro Balbi, o complexo cultural abriga a Pinacoteca do Estado e os museus de Numismática, Tiradentes, da Imagem e do Som e de Arqueologia. O local tem em cartaz a mostra “Na Sintonia do Rádio”, na sala José Bernardo Michiles, da antropóloga e diretora teatral Nonata Silva, que também é artista visual e contempla três recortes específicos que destacam a invenção, as primeiras transmissões, rádios antigos, as radionovelas e toda a diversidade de timbres e sons das rádios locais.

Café Criativo – Aos domingos, das 7h às 11h30, o CCPA (Centro Cultural dos Povos da Amazônia), no Distrito Industrial, conta com o “Café Criativo”. O tradicional café da manhã regional, com assinatura da Rota dos Chefs, tem exposições de diferentes segmentos, como artesanato e comercialização de produtos da agricultura orgânica.

Seringal – No afluente do Tarumã-Mirim, na margem esquerda do rio Negro, o Museu do Seringal Vila Paraíso recebe o público das 9h às 15h, de terça a sábado, com entrada a R$ 10, por pessoa. O acesso é feito somente por via fluvial, por meio de embarcações particulares (sem relação com a Secretaria de Estado de Cultura), que saem de hora em hora da Marina do Davi, na Ponta Negra. Cada trecho (ida ou volta) custa R$ 16, por pessoa.

O espaço, com base no igarapé São João, reproduz o cenário de um seringal a partir da infraestrutura do filme “A Selva”. Com duração de 45 minutos, a visita passa pelo trapiche, onde acontecia o desembarque de mercadorias e embarque de cargas de borracha, Casarão, residência do seringalista, Barracão de Aviamento, com artigos manufaturados e industrializados vendidos aos seringueiros, capela de Nossa Senhora da Conceição, Casa de Banho das Mulheres, o “Banho de Yaya”, além da trilha que leva à estrada com as seringueiras, ao Tapiri de Defumação da Borracha, à casa do seringueiro, ao rústico cemitério cenográfico e a Casa de Farinha.

CDA de Portas Abertas

Foto: Divulgação

O CDA de Portas Abertas, realizado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Cultura e Economia e Criativa, com o CDA (Corpo de Dança do Amazonas), volta neste mês de agosto para receber a comunidade artística na 7ª edição do projeto, com aulas de Dança Contemporânea e Clássica, ministradas pelo diretor da companhia, Mário Nascimento, e o bailarino profissional Paulo Chamone. 

O projeto tem o objetivo de promover o intercâmbio entre a companhia e estudantes de dança, bailarinos, além de artistas em geral da sociedade. As inscrições foram realizadas por meio das redes sociais do CDA (@amigosdocda) e os alunos foram divididos em dois grupos de 20, para seguir os protocolos de segurança contra a Covid-19. Também foi exigido o comprovante de vacinação contra o novo coronavírus. 

A próxima aula, Dança Clássica, será realizada de 16 a 20 de agosto, no mesmo horário e local, com o assistente de coreografia do CDA, Paulo Chamone. 

A previsão para as novas inscrições e aulas devem acontecer entre outubro e dezembro.

Para participar – A idade mínima para participar do CDA de Portas Abertas é de 18 anos. É necessário que o interessado tenha noções de dança, pois o projeto sugere que seja vivenciada a rotina de uma companhia de dança. 

A inscrição é realizada por meio de link no Google Forms que será disponibilizado nas redes sociais. Os interessados devem enviar nome completo, telefone, e-mail, breve histórico em dança e comprovante de vacinação contra a Covid-19. 

EM CARTAZ

  • DIA 15 de AGOSTO – 19h / Espetáculo “O Folclore das Quadrilhas de São João”

(Inscrições físicas encerradas)

O espetáculo “O Folclore das Quadrilhas de São João” unirá 15 integrantes de cinco grupos de quadrilhas do Amazonas para contar a história de como surgiram as quadrilhas juninas e apresentar espetáculos que fazem parte dos festivais folclóricos da cidade de Manaus.

O roteiro e direção é de Frank Brandão Jr, mestrando em Letras e Artes pela Universidade do Estado do Amazonas, além de pesquisador das danças folclóricas. O espetáculo será aberto ao público e também transmitido ao vivo pelo Portal Chibata (@portalchibata).

  • Até 29 de agosto- 15h: Exposição “Miscelânea – Desenhos digitais de Paola Honda Castro”

Exposição produzida com auxílio de recursos tecnológicos, como mesa digitalizadora, na criação de personagens autorais, e imaginários da jovem artista, que possui seu estilo inspirado na cultura oriental propondo uma leitura atual do mundo dos animes.

Projeto contemplado pelo Programa Cultura Criativa 2020 – Lei Aldir Blanc – Prêmio Feliciano Lana

Até 19 de Setembro – Exposição “Olhares Tumbira”

A exposição “Olhares Tumbira” nasceu da perspectiva de lentes fotográficas de aparelhos celulares Samsung A31, doados pelo projeto “Oficina de Fotografia e Mídias Digitais” -contemplado no edital “Prêmio Felicano Lana”, promovido pelo Governo do Amazonas, como parte das ações da Lei Aldir Blanc no Estado -para 10 jovens lideranças da comunidade Tumbira, localizada à margem direita do rio Negro, dentro da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Rio Negro, no município de Iranduba, no Estado do Amazonas.

A mostra fotográfica é uma cooperação criativa e transformadora que fomenta o lado empreendedor dos jovens da floresta. A exposição, que oferece ao visitante a potência da Amazônia sob uma perspectiva jovem e genuinamente amazonense, fica em cartaz até setembro. Para visitar é necessário agendar por meio do cultura.am.gov.br

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email