Principais equipamentos já estão no canteiro de obras do campo de Azulão

O campo de Azulão, que está sendo implantado pela Eneva no município de Silves (AM), já recebeu os principias equipamentos para instalação. Entre eles estão os geradores a gás, que irão fornecer energia ao empreendimento; os cryoboxes, unidades modulares de liquefação de gás natural (mudança do estado gasoso para o líquido); e os isotanques, para armazenamento do gás natural liquefeito (GNL). Outros equipamentos estão em trânsito do porto de Manaus para Azulão.

As obras seguem dentro do cronograma estabelecido para iniciar a operação do campo no segundo semestre de 2021. Várias frentes de trabalho estão sendo executadas no canteiro, como atividades de construção civil, mecânica, elétrica e a montagem dos equipamentos. No momento, a prioridade é a instalação da UTP – unidade de tratamento primário de gás natural. Cerca de 700 trabalhadores atuam no canteiro de obras.

Cabe ressaltar que as obras estão seguindo um rigoroso protocolo de combate à Covid-19, considerando as recomendações dos órgãos oficiais de saúde nacionais e internacionais. Entre várias medidas adotadas, está a realização de testes periódicos para garantir que somente funcionários aptos trabalhem nos canteiros.

O campo de Azulão faz parte do projeto integrado Azulão-Jaguatirica, vencedor do leilão de 2019 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Com investimento da Eneva de R$ 1,9 bilhão, o projeto vai produzir gás natural na Bacia do Amazonas, em Silves (AM), para abastecer a usina termelétrica (UTE) Jaguatirica II, que vai gerar energia para Roraima. 

Como vai funcionar

O gás natural produzido no campo de Azulão passará pelo processo de tratamento, liquefação, armazenamento e será transportado por carretas criogênicas (transportam GNL a baixas temperaturas) até a UTE Jaguatirica II (RR).

O campo de Azulão será o primeiro a produzir gás natural na Bacia do Amazonas a partir de 2021. Terá um cluster com 3 poços produtores de gás natural, uma estação de tratamento, uma unidade de liquefação, uma estação de armazenamento e carregamento de GNL (gás natural liquefeito), além de uma unidade de geração de energia de aproximadamente 20 MW para garantir autonomia na operação do campo.

Descoberto em 1999, somente depois da aquisição pela Eneva, em 2018, o campo de Azulão passou a receber investimentos que viabilizaram a sua operação. A iniciativa contribui com o desenvolvimento do interior do Estado a partir da geração de empregos, qualificação de profissionais locais, aumento da renda e recolhimento de impostos e royaltiespara os municípios.

Equipamentos estão sendo instalados no local

Profissionais de Silves, Itapiranga e Itacoatiara na operação

Com apoio do IEL AM, a Eneva selecionou e já está treinando profissionais de Silves, Itapiranga e Itacoatiara que irão integrar a equipe de operação do campo de Azulão a partir da segunda metade de 2021. A iniciativa faz parte do Programa de Qualificação de Novos Operadores, que busca contribuir com o desenvolvimento da mão de obra local, proporcionando mais oportunidades aos participantes.

As aulas teóricas do curso foram realizadas em Itapiranga, cumprindo os protocolos de saúde exigidos por conta da pandemia. Os alunos que apresentaram melhor desempenho seguem para a etapa de qualificação prática, realizada na unidade operacional da Eneva no Maranhão.

Todas as etapas do curso são remuneradas. Ao final do Programa de Qualificação, os participantes com os melhores resultados serão contratados pela empresa para ocupar vagas de Operador I e Técnico de Manutenção. Os demais alunos irão compor o banco de recursos humanos para futuras oportunidades nas plantas operacionais da Eneva no Brasil (AM, RR, MA e CE).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email