Prefeitura de Manaus espera US$ 150 milhões

Representantes do Banco Mundial vem a Manaus, dentro de mais algumas semanas, para a assinatura final de liberação do empréstimo de US$ 150 milhões. Eles também aproveitarão a viagem para apresentar à classe empresarial manauara e aos governos estadual e municipal um diagnóstico da situação atual do Brasil. Os detalhes da visita começaram a ser acertados nesta terça-feira (7) em Brasília (DF), onde o prefeito Arthur Virgílio Neto foi recebido pelo coordenador-geral de operações do Banco Mundial no Brasil, Boris Utria.
Antes disso, o prefeito e o secretário municipal da Semef (Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno), Ulisses Tapajós, foram ao Ministério da Fazenda para falar com o procurador da Fazenda Nacional, Paulo Magaldi. Ele está elaborando os dois pareceres que serão enviados ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, antes de o Banco Mundial liberar o crédito.
“É parte final da burocracia. Fomos ao Ministério da Fazenda e o procurador nos informou que os pareceres estão muito próximos de serem finalizados. Em seguida o ministro assina e o Banco Mundial fica liberado para realizar a transferência. O que importa é que em todas as etapas Manaus se mostra apta para receber os recursos”, afirmou o prefeito.
O próprio coordenador geral de operações do Banco Mundial no Brasil, Boris Utria, afirmou que são alguns detalhes que separam Manaus de receber o empréstimo. Ele espera que representantes da instituição possam estar no Amazonas ainda este mês para a solenidade final. Utria também elogiou a equipe da prefeitura, assinalando que o profissionalismo dos servidores credita a cidade para eventuais futuros repasses.
“Sabemos que esse processo para o empréstimo é longo, mas, mesmo na situação em que se encontra o país, a cidade de Manaus sempre se mostrou competente em tudo que foi solicitado. Isso nos passa confiança e a certeza de que os recursos serão bem investidos”, assinalou Boris Utria.
De acordo com Ulisses Tapajós, o Banco Mundial também fará uma explanação de um recente estudo feito pela instituição e que mostra o diagnóstico real do Brasil. Esse seminário servirá de base para Manaus elaborar novos projetos que possam contar com aportes internacionais.
“Receberemos representantes do Banco Mundial e convocaremos pessoas de nossa cidade que tenham interesse em saber quais os grandes desafios do Brasil para os próximos anos. Temos um projeto que segue o seguinte lema: ‘Qual é a Manaus que queremos em 2020?’. Nossa cidade precisa estar preparada e ter programas para o desenvolvimento, independente de quem esteja à frente do Executivo”, explicou Tapajós.
O empréstimo de US$ 150 milhões será aplicado nas áreas de infraestrutura e no equilíbrio fiscal da Prefeitura de Manaus.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email