Poupança capta R$ 4 bi no início de maio

Números divulgados ontem pelo Banco Central mostram que a caderneta de poupança registrou uma captação líquida (depósitos menos retiradas) de R$ 4,05 bilhões no começo de maio, entre os dias 1º e 8 deste mês (cinco dias úteis).
A maior parte da captação líquida parcial de maio (R$ 2,25 bilhões), segundo o BC, aconteceu após as alterações na regra de remuneração da poupança. A regra antiga, que assegurava um rendimento mínimo de 6,17% ao ano mais a variação da taxa referencial, valeu até 3 de maio.
Os R$ 4,05 bilhões captados no mês são o maior valor desde setembro de 2011 (+R$ 4,17 bilhões). Caso o resultado se mantenha nestes patamares, também baterá recorde para meses de maio. Até o momento, a maior captação líquida da poupança em maio foi registrada em 2010 (+R$ 2,12 bilhões). A série histórica do BC da poupança tem início em 1995.
O histórico da poupança mostra, porém, que há grandes variações durante o mês. É comum haver um ingresso líquido forte em um dia, por exemplo, com retirada grande em outro dia do mesmo período.
Em abril, os depósitos superaram as retiradas em R$ 1,97 bilhão em abril – o melhor resultado para um mês de abril desde 2007 (R$ 2,04 bilhões), e o segundo maior de toda a série histórica do BC, que tem início em 1995.

Mudança

Desde 4 de maio, a remuneração da caderneta de poupança está atrelada aos juros básicos da economia brasileira. A decisão do governo é de que a poupança passe a render 70% da taxa Selic, que é fixada a cada 45 dias pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do BC, mais a variação da Taxa Referencial (TR). A regra será aplicada somente quando os juros básicos recuarem para 8,5% ao ano, ou abaixo disso. A modalidade continuará isenta do Imposto de Renda (IR).

Depósitos na poupança

Os números do Banco Central mostram que, apesar da mudança das regras de remuneração da caderneta de poupança, que vai baixar o rendimento da modalidade quando os juros atingirem 8,5% ao ano, o que pode acontecer já no fim deste mês, os poupadores continuaram fazendo aplicações na caderneta de poupança.
Os depósitos somaram R$ 7,02 bilhões em 2 de maio e outros R$ 5,39 bilhões na quinta-feira da semana retrasada (3 de maio, o último dia de validade da regra antiga), uma média de R$ 6,21 bilhões por dia útil nos dois primeiros dias úteis deste mês.
De 4 de maio em diante, os depósitos feitos na caderneta de poupança já têm rendimento calculado com base nas novas regras anunciadas pelo governo. Nos dias 4, 7 e 8 de maio, ainda segundo números da autoridade monetária, os depósitos somaram R$ 5,86 bilhões, R$ 7,22 bilhões e R$ 5,99 bilhões – uma média de R$ 6,36 bilhões por dia útil.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email