Pesquisar
Close this search box.

Pesquisa Ifpeam/Fecomércio-AM aponta disposição para o consumo neste Dia dos Namorados

O comércio de Manaus ainda não fechou o balanço do Dia das Mães, e já se prepara para o Dia dos Namorados. Um dado que anima os lojistas é que nove em cada dez consumidores manifesta vontade de comprar. Com a melhora relativa nos indicadores macroeconômicos, o manauense sinaliza maior capricho no presente: além de bens não duráveis ou semiduráveis na lista de compras, joias e relógios ganharam destaque. Mas, quase metade dos consumidores quer limitar os dispêndios a R$ 150, e 50% esperam fugir do risco de inadimplência pagando à vista. É que revela a pesquisa do Ifpeam (Instituto Fecomércio de Pesquisas Empresariais do Amazonas).

A Fecomércio-AM (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amazonas) ainda não tem uma projeção de alta para o Dia das Mães, mas aposta em alta. A boa notícia é que 90% dos consumidores estão dispostos a presentear na data comemorativa que abre o segundo semestre –o mais promissor para o varejo. É um percentual superior ao capturado em 2023 (75%). Diferente do ocorrido nas edições anteriores da pesquisa, o Ifpeam não informou os motivos apresentados pelos entrevistados para a escolha de comprar ou não comprar. 

As faixas prioritárias de gastos são de R$ 151 a R$ 200 (32%) e entre R$ 81 e R$ 150 (30%). Os entrevistados dispostos a ir um pouco mais além e separar entre R$ 251 e R$ 400 para as compras chega a 18%. Os segmentos minoritários são os que pretendem limitar o valor a R$ 80 (14%), ou extrapolar além dos R$ 400 (6%). Isso também se reflete na quantidade de itens no carrinho de compras: 72% vão restringir as aquisições a somente um presente, enquanto os 28% restantes estão dispostos a gastar mais.

Na lista de compras ainda predominam produtos tradicionais e de menor valor agregado, como vestuário (29%) e cosméticos (18%), mas joias e relógios (10%) ganharam destaque neste ano. As intenções de consumo incluem refeições especiais (9%), flores (7%), chocolates (6%), bolsas e acessórios (6%), “ir ao cinema” (6%), artigos esportivos (3%) e “pelúcias” (3%). Presentes mais caros, como celulares e eletrônicos (2%) e viagens/passeios (1%), são minoritários e 1% ainda se dizem indecisos. A lista de desejos dos presenteados apresenta os mesmos itens nas mesmas posições.

Meios e locais

Em um cenário de queda gradual nos juros, mas de taxas de endividamento e inadimplência ainda elevados, os consumidores se dividem quanto às formas de pagamento a serem usadas no Dia dos Namorados deste ano. Exatamente 50% preferem pagar à vista, por Pix, cartão de débito ou dinheiro, mas 44% ainda escolhem o cartão de crédito e os 6% optam por crediário ou carnês de lojas. “Em 2023, o pagamento à vista aparecia com apenas 16%, mostrando uma evolução de 200% deste meio de pagamento”, comparou o Ifpeam, no texto de divulgação da sondagem.

Outra boa notícia para os lojistas de Manaus é que 83% dos consumidores manifestaram preferência pelas compras no comércio presencial –percentual ainda maior do que o de 2023 (79%). Dentro desse grupo, a preferência disparada é pelos shoppings (70%), seguidos à distância pelas lojas de bairro (16%), varejo do Centro da cidade (12%) e hipermercados (2%). Dentro da fatia de 13% consumidores dispostos a comprar online, as opções são internet/sites/lojas virtuais (45%), Instagram (33%), WhatsApp (11%) e Facebook (11%). Os demais 4% ainda não se decidiram.

Os entrevistados apontam que critérios econômicos, como promoções e descontos (14%) ainda são decisivos na hora da compra. Mas, qualidade dos produtos (17%), atendimento (17%) e pronta entrega (14%) também têm relevância no coração dos consumidores de Manaus. Outros aspectos levados em consideração são localização e a segurança (12%), delivery (8%), facilidade de pagamento (8%), diversidade de produtos (7%) e climatização (3%). O Ifpeam destaca que o somatório das escolhas extrapola 100%, pois os entrevistados puderam optar por mais de uma alternativa.

Em sentido inverso, o mau atendimento é o principal fator apontado pelos manauenses como motivo de desistência da compra em um determinado estabelecimento, com 30% dos votos. Falta de segurança e localização (20%); “preços elevados” (16%); produtos e serviços de má qualidade (12%); fretes elevados e demora na entrega (9%); “lojas e sites não confiáveis” (8%); e falta de informação sobre o produto (5%) também foram citados. O Instituto Fecomércio de Pesquisas Empresariais do Amazonas informa que esta foi mais uma questão que permitia mais de uma resposta. 

“Grata surpresa”

O presidente em exercício da Fecomércio-AM, Aderson Frota, salientou que a fatia de consumidores disposta a comprar neste ano ganhou um acréscimo de 20% (ou 15 pontos percentuais) na comparação com o dado medido às vésperas do Dia dos Namorados de 2023. Também ressaltou que o destaque de joias e relógios é uma “grata surpresa”, posto que o item correspondia a 2% um ano atrás. O dirigente destaca também que a sondagem é uma ferramenta importante para o processo decisório dos comerciantes

“Esses dados tem por objetivo antecipar [tendências] aos empresários dos segmentos citados, para que ele possa se planejar e comprar dentro de suas expectativas de vendas, para não haver desperdício de tempo e capital na aquisição de produtos que não serão comercializados. A Fecomércio-AM se preocupa com esse aspecto, pois ainda temos a dificuldade de pagar o imposto antecipadamente, em até 45 dias. Na maioria das vezes, antes mesmo de vendermos, ou sequer recebermos a mercadoria, e já temos a obrigação de quitar os tributos relativos a essas compras”, afiançou.

Já o presidente da Assembleia Geral da ACA (Associação Comercial do Amazonas), Ataliba David Antonio Filho, avalia que a pesquisa mostra um consumidor que ainda tenta limitar os gastos. “Os indicadores indicam que os segmentos de vestuário, cosmético, que são produtos de valores acessíveis, continuam preponderando, em compras principalmente à vista; É o perfil do consumidor comedido, que não quer se endividar”, concluiu.

Boxe ou coordenada: Saiba mais sobre a pesquisa

A pesquisa foi realizada com uma amostra de 1.112 consumidores do varejo de Manaus, entre 24 e 25 de abril, via Google Formulários. Os entrevistados foram ouvidos via Google Forms, aplicativo de mensagens instantâneas e entrevistas pessoais em locais de “grande fluxo”. Mulheres são 45% e homens, 54%. As faixas etárias predominantes são as que vão de 35 a 44 anos (38%), e entre 25 e 34 anos (31%), seguidas por aqueles que têm de 45 a 59 anos (16%), entre 18 e 24 anos (13%) e com 60 anos ou mais (2%). 

As faixas de renda mais comuns são as de 2 a 4 salários mínimos (40%) e entre 1 e 2 mínimos (37%), mas a lista inclui também pessoas que ganham até 1 mínimo (13%) e acima de 4 salários mínimos (9%). Por escolaridade, o predomínio vem do ensino médio (59%), seguido de longe pelo ensino superior (22%), fundamental (12%) e pós-graduação (6%). Os entrevistados moram nas zonas Leste (39%), Sul (24%) da cidade, e também nas zonas Norte (16%), Oeste (15%) e Centro (2%).

Marco Dassori

É repórter do Jornal do Commercio
Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Notícias Recentes

Pesquisar