Pacote traz efeito positivo em cascata

Os setores metalúrgico e termoplástico, diretamente ligados ao polo de duas rodas, e dois dos mais atingidos pela crise no segmento, comemoram as medidas emergenciais do Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) anunciadas na última quita-feira (30), mas, afirmam que melhora na contratação de mão de obra ainda vai demorar.
Segundo representantes dos segmentos, a redução de 50% da TSA (Taxa de Serviço Administrativo) paga mensalmente pelos empresários à Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus) e a desoneração de 25% do ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços) da energia elétrica para os produtores de bens intermediários, apenas aliviam os sintomas da crise.
“Para os setores que dependem da recuperação do polo de duas rodas, só o escoamento da produção resolve, e isso só será possível com a liberação de crédito. É preciso lembrar que a crise deles -fabricantes de motocicletas- não é centrada na produção e sim na comercialização, mas o rigor dos bancos para conceder o crédito ainda é forte e eles não parecem dispostos a ceder”, avaliou o diretor-executivo do Simplast-AM (Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Amazonas), Paulo Abreu.
Enquanto isso, segundo ele, o quadro de funcionários das indústrias de materiais plásticos segue reduzido: “Por enquanto, continuamos em situação crítica”, afirma.
De acordo, com dados do sindicato, no início do ano, o setor empregava aproximadamente 12 mil trabalhadores. Fechou o primeiro semestre com 9.800 postos e finalizou julho com mil funcionários a menos (8.800 empregados).
Paulo Abreu afirmou que o setor deve registrar leve recuperação em outubro e novembro em função da produção para o Natal, mas não volta ao patamar de 12 mil empregados neste ano.
Já o presidente do Sinmen-AM (Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Materiais Eletrônicos de Manaus), Athaydes Mariano Félix, aprovou o pacote embora tenha sentido falta de outros benefícios como a desoneração do PIS/Cofins (Programa de Integração Social/Contribuição para Financiamento da Seguridade Social).
“Mas, o que realmente nos trará tranquilidade é a solução para o financiamento. Contratação de mão de obra com um volume considerável só depois que a produção começar a ser escoada”, ressaltou.
Na ocasião do anúncio durante reunião do CAS (Conselho de Administração da Suframa), o presidente do Cieam (Centro da Indústria do Estado do Amazonas), Wilson Périco, estimou que se a solução para o financiamento for encontrada até o final de setembro, o polo de duas rodas e os setores ligados a ele podem sentir a melhoria ainda este ano e resgatar parte dos postos de trabalho perdidos.
A reunião entre o Mdic e os bancos – Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Bradesco foi agendada e deve ocorrer em duas semanas.

Demissões

De acordo com o setor de homologação do Sindmetal (Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas), o número de demissões homologadas nos primeiros sete meses de 2012 cresceu 90% em comparação ao mesmo período do ano passado. Foram 14.002 desligamentos de janeiro a julho, sendo 8.927 homens e 5.027 mulheres.
Somente em julho, o total de demissões foi 143% superior em relação ao mesmo período de 2011. Foram 1.798 desligamentos contra as 739 registradas no mesmo mês do ano passado.
Ainda segundo o sindicato, Honda, LG, Semp Toshiba, Elsys Eletrônica e Samsung foram as cinco empresas que mais demitiram no período.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email