11 de abril de 2021
Precisamos rever conceitos urgentes em nossas organizações

Precisamos rever conceitos urgentes em nossas organizações. É inacreditável como temos uma enorme facilidade de conseguir criar novos conceitos a partir do momento que colocamos em dúvida, criticamos e analisamos em contextos diferentes. O ruim de tudo isto é o equivocado egocentrismo em todas as ações. Na política partidária temos pessoas com ideologias garantindo na teoria o engrandecimento em todos os sentidos. Nas empresas os profissionais dizem estar buscando uma melhor rentabilidade. Justificativas são várias para informar o porquê de alguns erros. Os ataques pessoais e profissionais são uma constante dentro e fora de nossas organizações, pois, a ausência da verdade tem sido uma constante criando uma grande inversão de valores em todos os sentidos. Na verdade já há muito tempo vivemos uma grande ilusão em nossa vida real.
Mudar conceitos é muito salutar desde que seja buscando o crescimento intelectual, profissional e criando novas teorias e modelos de gestão com boa estratégia e equilíbrio. Vivemos um momento muito interessante na política brasileira. Não podemos ter a miopia e deixar se levar por discursos inflamados querendo criar situações incontroláveis. Precisamos continuar analisando as ações como algo recheado de interesses e assim poderemos entender por que tanta briga entre os políticos para adquirir o poder, pois, no geral dizem estar lutando por nossos direitos. Mas, não esclarecem o porquê de tanta vontade de lutar por nós. Em nossas empresas algo parecido ocorre e isto é muito preocupante.
Há uma inversão de valores na grande maioria das ações necessárias para buscarmos o sucesso. A lei criada para buscar igualdade a todos, trabalha na contramão do processo e grandes profissionais conseguem interpretá-las da melhor maneira possível na busca do individualismo que prevalece em todas as organizações. Precisamos trabalhar em equipe sempre, todavia, na teoria a busca já existe. Justificativas absurdas do ponto de vista moral são amparadas por leis ultrapassadas dentro e fora das organizações. Acusações absurdas são levantadas prejudicando consideravelmente profissionais e pessoas. Ataques constantes são feitos e revelações bombásticas elaboradas para “puxar o tapete” daquele que representa uma ameaça. Tudo em prol do progresso. Pelo menos é o que dizem os praticantes destes atos.
A ausência da verdade na maioria das ações realizadas nos traz uma sensação de impotência para poder resolver os problemas existentes e, muitas vezes, passamos a não acreditar em um progresso real pautado na integridade, ética, honestidade e transparência. O momento de dificuldade deve ser o mais bem aproveitado, pois, se trata de uma situação instável apropriada para buscarmos o desenvolvimento no mais amplo sentido. Já vivemos em uma grande ilusão real há muito tempo. Conseguimos ver na história brasileira que muito foi feito de errado, mas, tudo muito bem escondido de todos. O tempo passa e pouco se mudou em relação aos erros. A diferença é a participação ativa da mídia descrevendo quase tudo que acontece levando esclarecimento para uma grande parcela das organizações e das pessoas.
Precisamos trabalhar muito nas empresas e em todas as demais organizações existentes a fim de também revolucionarmos a busca da excelência, demitindo os reais culpados das incompetências ocorridas e realizando as melhores contratações. Na política podemos realizar isto através do voto. Nas empresas através da melhor capacitação e liderança. Assim poderemos iniciar um processo para realmente fazermos a diferença e a ausência da verdade dará lugar a fatos reais para podermos realizar uma grande revolução organizacional e assim a ilusão real destacada aqui será apenas um sonho. Uma certeza pode ser destacada, as mazelas e certa revolução já começou há muitos anos atrás e devemos fazer nossa parte sendo coerente, prático e estratégico a ponto de não nos iludir imaginando que tudo começou somente agora.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email