Manaus exibe crescimento de quase 100% do PIB

O PIB (Produto Interno Bruto) per capitã de Manaus, apresentou entre os anos de 1999 e 2004, um crescimento recorde de quase 100% ao variar da faixa dos R$ 9,42 mil para R$ 18,63 mil, conforme a estatística do IBGE. Esse índice positivo foi resultado, principalmente, do crescimento das indústrias da cidade, que apresentaram uma elevação de 174,70% em seu PIB no período mencionado
Segundo o supervisor de disseminação do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Adjalma Nogueira, a economia da cidade ainda continua com uma elevada dependência do setor industrial.

“O crescimento do PIB em Manaus está concentrado principalmente entre as empresas fabricantes do Amazonas, que são responsáveis por 69% do Produto Interno Bruto local”, garantiu.

Na avaliação do economista, Rodemarck Castelo Branco, a dependência da economia da cidade em relação ao setor industrial ainda é bastante forte, mas diminuiu se comparada a década de 1990.

O estudioso também destacou a diversificação dos setores produtivos local. “No segmento industrial, a participação do eletroeletrônico está diminuindo, justamente aquele mais sensível a área tecnológica, que torna tênue a linha que separa eletrônica e informática “, informou.

Rodemarck Castelo Branco destacou o crescimento do segmento de duas rodas no PIM (Pólo Industrial de Manaus) do setor de concentrados de bebidas. “No primeiro caso está sendo criado um importante cluster com o ingresso em Manaus de dezenas de fornecedores, de novos produtores de motocicletas e a criação de estrutura de serviços adequados às suas necessidades”, disse Castelo Branco.

Projetos de bebidas chega a 25

Quanto ao crescimento do setor de concentrados de bebidas não-alcoólicas, o economista informou que existem quase 25 projetos de investimentos aprovados pela Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus). “São quase 25 projetos aprovados, gerando escala produtiva que, no médio prazo, induzirão investimentos mais amplos na produção local de parte de insumos” explicou, Castelo Branco, frisando que a indústria incentivada não pode ser analisada de forma uniforme, considerando como normal a elevada participação dessas empresas no PIB local.

O economista avaliou também que o poder público deve investir mais em infra-estrutura social, melhorando a qualidade de vida da população e na ampliação e melhoria da infra-estrutura econômica. “Os investimentos em educação, ciência e tecnologia são a base para um processo de desenvolvimento que aproveite a nova onda tecnológica mundial -a biotecnologia. Com uma vantagem em relação ao setor industrial existente: a possibilidade de controle da tecnologia e aproveitamento do enorme potencial de exportação de produtos de elevado valor agregado (caso de cosméticos e fitoterápicos)”, destacou Castelo Branco.

Segundo o especialista, tendo como base os investimentos realizados na cidade, tudo indica que Manaus deverá crescer em níveis mais elevados à média nacional nos próximos anos. “Projetos na construção de dois viadutos, em sistema de águas, na ponte que unirá as duas margens do Rio Negro e no gasoduto Coari-Manaus são alguns indícios do futuro crescimento da economia local”, apontou Castelo Branco.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email