AP aposta em exploração sustentável da floresta

O governo do Amapá está decidido a explorar, de forma sustentável, os 2,3 milhões de hectares que o Estado tem de florestas. A atividade é apontada pelo secretário estadual de Planejamento, Aroldo Vitor de Azevedo Santos, como vital para os planos do governo de desenvolver a economia estadual, que hoje tem o PIB (Produto Interno Bruto) dependente do setor de serviços e orçamento incapaz de suprir as demandas de uma população de aproximadamente 600 mil habitantes.

E é através da exploração florestal e do desenvolvimento dos demais setores (primário e secundário), destaca o secretário, que o Estado quer ampliar suas fontes de receita. Atualmente, o governo amapaense trabalha com um orçamento de cerca de R$ 2 bilhões. A meta é alcançar os R$ 9 bilhões até 2011, recursos que ajudarão o Estado acreano a oferecer melhores serviços à população e implantar infra-estrutura necessária ao desenvolvimento regional.

“Nossas florestas estão praticamente intactas e precisamos encontrar formas de utilizá-la racionalmente, em benefício da população. A exploração sustentável é a nossa saída, é a nossa vocação”, destacou Aroldo Santos, em sua palestra no primeiro dia de seminário sobre o Projeto Arara da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus) em Macapá, ocorrido nesta quinta-feira, no auditório do Museu Sacaca.

Planejamento estratégico

O projeto é resultado do convênio da autarquia firmado com a Ufam (Universidade Federal do Amazonas) para a revisão do planejamento estratégico da instituição para o período 2008-2011.

O processo é conduzido por um grupo de pesquisadores, que está percorrendo as capitais da área de atuação da Superintendência da Zona Franca de Manaus, a Amazônia Ocidental (Amazonas, Acre, Roraima e Rondônia) mais a ALC (Área de Livre Comércio) de Macapá e Santana para ouvir as demandas dos Estados.

O Amapá é o penúltimo a receber a equipe de especialistas e, aponta o coordenador geral de Estudos Econômicos e Empresariais da Suframa, José Alberto da Costa Machado, a participação das lideranças locais tem sido expressiva. “A participação é fundamental porque é dela que sairão os debates, as informações sobre os avanços e desafios dos Estados na busca pelo desenvolvimento, radiografia que buscamos para revisarmos o plano de ação da autarquia para os próximos anos”, disse.

Além da Secretaria de Planejamento, também participaram do primeiro dia de palestras a Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia, a Federação das Indústrias, Sebrae e a Unifap (Universidade Federal do Amapá). Na platéia, representantes da Prefeitura de Macapá, do setor acadêmico, produtivo e estudantes da Unifap.

Nesta sexta-feira, na sala de reunião da Secretaria Estadual de Planejamento, das 9h às 13h, representantes de instituições dos mais variados setores falarão sobre suas realidades e de que forma acreditam que a Suframa pode ampliar parcerias.

O próximo seminário do Projeto Arara ocorrerá em Manaus, até os primeiros dias de dezembro. Após essa etapa, de consultas, será realizado um grande seminário com todos os Estados. A primeira prévia do novo plano de ações da instituição na região deverá sair em janeiro do próximo ano, com conclusão do documento prevista para abril de 2008, conforme explicou o coordenador do Projeto Arara, Tadao Takahashi.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email