7 de maio de 2021

Intenção de comprar ‘explode’

Depois de meses desafiadores para as vendas no varejo, devido à pandemia, o comércio espera ansioso pela Black Friday. De acordo com pesquisa da Superdigital – fintech do Grupo Santander com foco em inclusão financeira – a data deverá apresentar melhor resultado este ano quando comparado a igual período de 2019, pelo menos entre os consumidores das classes C e D.

A pesquisa da Superdigital ouviu 1.339 pessoas entre os dias 4 e 8 de novembro, em todas as regiões do Brasil. Dessa forma, revelou que 82% dos consumidores das classes C e D pretendem aproveitar as promoções de Black Friday.

Quantidade de consumidores

A pesquisa mostra que 82% dos entrevistados pretendem comprar, enquanto 18% responderam que não. O número é 14 pontos percentuais maior ante o registrado no ano passado, quando a pesquisa indicou que apenas 68% dos consumidores dessas classes sociais pretendiam comprar na data.

Pretensão de gastos

Quando perguntados sobre os valores que estão dispostos a gastar neste ano, 38% dos participantes disseram R$ 1 mil, 29% disseram que os gastos deverão ficar entre R$ 500 e R$ 1 mil e 22% apontaram entre R$ 200 e R$ 500. Outros 11% dos entrevistados devem limitar as compras em até R$ 200.

O que comprar?

Entre os itens mais desejados neste ano estão TVs e eletrodomésticos, com 35% das intenções de compras. Além disso, os consumidores pretendem também comprar aparelhos celulares (25%), vestuário e acessórios (16%) e viagens (2%). Já 22% responderam que devem comprar outra coisa.

Onde comprar?

O levantamento mostrou também que as compras pela internet têm ganhado cada vez mais destaque entre os consumidores, já que metade dos entrevistados prefere este canal.

De acordo com os respondentes, 49% deles devem buscar o e-commerce como opção na hora de comprar. Por outro lado, 51% das pessoas respondeu que pretende fazer suas compras de Black Friday nas lojas físicas.

Pagamento

Quando questionados sobre a forma de pagamento, 35% dos respondentes informaram que vão pagar no cartão de crédito, 33% de maneira parcelada, 29% à vista e 3% no cartão pré-pago.

Pesquisa de preços

A pesquisa também indicou que parte relevante dos consumidores das classes C e D (83%) pesquisam os preços dos produtos que pretendem comprar para saber se o valor na Black Friday significa mesmo uma boa promoção.

De acordo com Luciana Godoy, CEO da Superdigital, as vendas neste ano devem superar facilmente as expectativas registradas no ano passado.

“Com a pandemia, muitas pessoas, com medo do futuro financeiro e da perda de emprego, adiaram as compras e devem aproveitar a data. Somado a este cenário, vemos que os brasileiros têm visto boas oportunidades na Black Friday e estão mais dispostos a gastar”, afirma a executiva.

“A pandemia também acelerou alguns processos em curso. Um deles é o consumo pela internet e aplicativos. A digitalização dos pagamentos está cada vez mais presente no dia a dia dos brasileiros e as ferramentas de inclusão financeira, como a Superdigital, têm sido importantes neste cenário de mudança”, completa Godoy.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email