2 de dezembro de 2021

Instituições preveem melhora no PIB

A Pesquisa Febraban de Projeções e Expectativas de Mercado apontou, em julho, uma leve melhora das estimativas de 27 instituições financeiras relativas à evolução do nível de atividade em 2009 e 2010

A Pesquisa Febraban de Projeções e Expectativas de Mercado apontou, em julho, uma leve melhora das estimativas de 27 instituições financeiras relativas à evolução do nível de atividade em 2009 e 2010. Para este ano, as previsões indicavam em junho uma queda do PIB (Produto Interno Bruto) de 0,3%, mas agora apontam leve redução de 0,1%.
Para 2010, a avaliação em junho era de que o PIB subiria 3,4%, mas o número subiu para 3,7% em julho. “As projeções indicam uma leve melhora das perspectivas da economia brasileira neste período”, disse o economista-chefe da Febraban, Rubens Sardenberg. “Para 2009, acredito que o PIB deve ficar próximo de 0%”, comentou.
De acordo com o estudo, realizado pela Febraban, a projeção para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) em 2009 subiu de 4,3% em junho para 4,4% em julho. Segundo o levantamento, não há expectativa de mudança na Selic até o final de 2010. Desta forma, a taxa deve permanecer em 8,75% deste mês de agosto até dezembro de 2010. As estimativas para o câmbio neste ano acompanham a valorização do real ante o dólar, uma vez que a cotação prevista para o término de 2009 variou de R$ 2,01 para R$ 1,92.

Balança comercial

A pesquisa também apontou que o Brasil deve registrar este ano um saldo comercial maior em comparação ao previsto em junho por instituições financeiras. De acordo com o estudo, a estimativa de saldo positivo da balança comercial em 2009 subiu de US$ 16.8 bilhões para US$ 21.5 bilhões.
Segundo os especialistas, as exportações baixarão de US$ 156.1 bilhões para US$ 154.2 bilhões, enquanto as importações passarão de US$ 139.3 bilhões para US$ 132.6 bilhões. De acordo com Sardenberg, essa redução está relacionada com a retração da economia mundial, causada pela intensa recessão global. Segundo as projeções da pesquisa, o déficit de contas correntes para este ano deve recuar um pouco de US$ 15.8 bilhões para US$ 14.3 bilhões.
Por outro lado, as perspectivas para o IED (Investimento Estrangeiro Direto) apresentaram uma leve melhora para este ano, pois subiram de US$ 23.9 bilhões para US$ 24.5 bilhões. Na avaliação dos especialistas ouvidos pelo estudo, as projeções para o superávit primário recuaram de 2,3% do PIB para 1,8% em 2009. “Essa avaliação é fruto de incertezas relacionadas à dinâmica dos gastos públicos”, afirmou Sardenberg.
Para 2010, a projeção é que tal indicador suba para 2,4%, contudo, esse número é menor do que a projeção realizada em junho para o próximo ano, que indicava a marca de 2,9% do PIB.
Com a previsão de queda da poupança do Orçamento, sem levar em consideração as despesas com juros, as previsões para a dívida líquida do setor público receberam uma contribuição para subir neste ano, pois o prognóstico avançou de 39% do PIB para 41,3%.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email