Fabrício Lima, Lúcia Antony e Waldemir José assumem vaga na CMM

A CMM (Câmara Municipal de Manaus) conta agora com a participação de três novos parlamentares: Lúcia Antony (PCdoB), Fabrício Lima (PRTB) e Waldemir José (PT). A posse dos suplentes foi realizada na manhã da sexta-feira, 4, sendo a 1ª Sessão Solene presidida por Isaac Tayah (PTB).
Eles foram alçados ao cargo pela saída dos eleitos deputados estaduais: Marcelo Ramos (PSB), Fausto Souza (PRTB) e José Ricardo (PT). Apesar da presença de algumas figuras do alto escalão da política do Amazonas, senadora Vanessa Grazziotin (PCdo B), senador João Pedro (PT), deputado federal Francisco Praciano (PT), além de Eron Bezerra (PCdo B), secretário estadual de produção rural, a sessão foi pouco prestigiada pelos demais vereadores que compareceram de forma tímida na Câmara.
Os ‘novatos’ já são velhos conhecidos da Casa. Antony foi vereadora de 2004 a 2008. Lima já assumiu duas vezes a cadeira no plenário, primeira vez como suplente e a segunda com mandato próprio.
Por sua vez, José está em seu segundo mandato como suplente, o primeiro foi de 2007 até 2008, quando o petista assumiu a vaga de seu colega de partido, Francisco Praciano. Contudo, nem todos eles deverão exercer de fato sua função. Fabrício Lima afirmou durante a Sessão que na próxima terça-feira, 8, pedirá licença para continuar como secretário da pasta de Desporto, Lazer e Juventude do Município, onde atua desde 2009.
“O impasse sobre quem irá ocupar minha vaga na Casa é um trabalho para o presidente Isaac Tayah. Espero que ele tenha uma decisão embasada e possa contemplar aquele que realmente tem direito de exercer o cargo. São três grandes nomes com pretensão na vaga, resta saber quem realmente tem direito de representar o parlamento, para que ninguém saia com a imagem arranhada”, destacou Lima, analisando a briga travada entre Jairo da Vical, Paulo D’carli e Doutor Barreto, respectivamente, segundo, terceiro e quarto suplentes de Fausto Souza (PRTB).
O motivo do entrave é a Lei de Fidelidade Partidária, tanto Jairo quanto D’carli mudaram de partido. O primeiro se desfilou do PRTB para aliar-se ao PTN, o segundo saiu da sigla, mas retornou já no fim de janeiro passado. Embasado no fato, Doutor Barreto alega que seus concorrentes cometeram o crime de infidelidade partidária, o que o faz acreditar que é dele o direito de sentar na cadeira de vereador.

Tayah pede auxílio para o TRE

O presidente da CMM disse que recebeu uma resposta “dúbia” ao consultar o TRE. Segundo ele, o retorno do Tribunal não foi satisfatório, e por isso irá novamente consultar o órgão. Tayah salientou que a Casa possui 30 dias para estabelecer quem, de fato, irá ocupar a vaga deixada por Fabrício Lima.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email