Expectativa de redução no preço

Na noite de quarta-feira (13), foi inaugurado na cidade de Itacoatiara, a 270 quilômetros de Manaus, a primeira etapa do Terminal de Armazenamento de Combustíveis da Dislub Equador, com capacidade para 60 milhões de litros neste primeiro momento e 160 milhões ao fim do projeto. A empresa promete revolucionar a logística de combustíveis na região Norte amenizando o problema de transporte e armazenamento de combustíveis pelo qual o Estado passa durante o período de seca. Com esse novo ponto de armazenamento, os custos serão reduzidos o que pode influenciar no preço da gasolina que chega ao consumidor. O primeiro navio chega ao porto nesta sexta-feira (15), ainda em período de testes.
O novo terminal tem capacidade para receber simultaneamente até duas balsas e um navio de grande porte com carga cheia. Caso não esteja recebendo nenhum navio podem ser recebidas até quatro balsas. Com isso, os navios que antes faziam o trajeto Itacoatiara-Manaus-Itacoatiara podem descarregar por completo na cidade, partindo depois para outras regiões. Helvio Queiroz, gerente de operações da Dislub Equador, explica que se trata do terminal mais moderno e de maior tancagem da região Norte e com isso o número de viagens realizadas ficará muito menor e permitirá aos navios viajarem com tanques cheios, reduzindo as taxas de transporte. Os navios irão aliviar a carga em Itacoatiara e trazer para Manaus apenas o necessário para o mercado da cidade.“Os custos vão diminuir. Eu não posso falar de preço por que o mercado é que vai definir, mas o preço da gasolina pode baixar e deve”, afirma Helvio.
A primeira fase da obra demorou dois anos e meio para ficar pronta e custou R$ 150 milhões, dentro de 15 dias estará funcionando de forma plena. A previsão é que a segunda etapa seja iniciada em 6 meses e concluída dentro de um ano e meio, com previsão de custo de R$ 50 milhões. Somando 102 mil m² de área total. Helvio explica a diferença de valores justificando que a primeira parte da obra é a mais complexa e que já deixou todos os mecanismos prontos, restando apenas estender a capacidade do terminal. “O terminal já poderia começar a operar hoje, estamos indo devagar por questão de segurança”, explicou. A empresa conta também com mais três bases localizadas em Manaus, Rio Branco, Santarém. A base de Manaus tem capacidade para apenas 9 milhões de litros de combustível.
Durante o período de seca dos rios no Estado os navios se viam obrigados a andar com apenas 40% de sua carga máxima, em virtude do calado, profundidade a que se encontra o ponto mais baixo da quilha de uma embarcação. O prefeito de Itacoatiara, Mamoud Amed, explica que a cidade tem uma localização privilegiada geograficamente e por isso atraiu investimentos de grande porte como este. “Os navios não podem chegar com carga total para Manaus, com isso o empreendimento se mostra extremamente estratégico para o futuro do Estado. Itacoatiara será nos próximos anos o grande Porto do Estado do Amazonas” opina. O prefeito também informa que apenas o custo com a praticagem no navio será economizado em torno de 120 mil dólares por viagem.
O diretor-presidente da Dislub Equador, Humberto Carrilho, informa que 40% do capital veio da própria empresa e 60% do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social) e Banco do Brasil. Embora trabalhe com todos os tipos de combustíveis o principal produto do terminal será óleo diesel. “Para a primeira fase do empreendimento o grande cliente será a Petrobras que traz refinarias de outras regiões do país e alguns produtores de etanol que será a segunda vertente do terminal”, explica Humberto Carrilho.Por conta de dificuldades logísticas, todo o etanol consumido no Amazonas costuma vir de usinas no Mato Grosso, por rodovia até Porto Velho e seguem para Manaus de balsa pelo rio Madeira, o que encarece o preço do produto. Com a inauguração da primeira fase do empreendimento da Equador Log haverá uma tancagem adicional para armazenar etanol.
O governador do Estado em exercício, José Melo, também esteve presente na inauguração do terminal e destacou a importância da obra para o Estado. “Isso inaugura uma nova era que é muito bem vinda para o nosso Estado. É um projeto novo e diferenciado e que eleva o Amazonas a outro patamar na questão dos combustíveis” concluiu.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email