Ensino à distância em tempos de quarentena

É nos momentos mais difíceis que precisamos tomar decisões radicais. Com a quarentena imposta no Brasil, todos foram atingidos, em maior ou menor escala. Nas escolas não foi diferente, mas a tecnologia estava aí para auxiliar professores, e principalmente os alunos.

“Começamos nossas aulas por suporte remoto no dia 23 de março, com o Google Classroom, chegando a 100% dos nossos alunos”, falou a professora Elaine Saldanha, diretora do CEL (Centro de Ensino Literatus).

“Já trabalhamos com essa plataforma há uns quatro, cinco anos. Pelas normas do MEC, as aulas não presenciais só podem corresponder ao limite 20% do EAD (Ensino A Distância), mas não chegávamos nem a isso. De uma hora para outra tivemos que atingir os 100% de aulas”, disse.

No próximo ano o Grupo Literatus irá completar 30 anos de existência, em Manaus. Atualmente conta com mais de três mil alunos matriculados em 16 cursos técnicos e um curso de auxiliar técnico, auxiliados por mais de 100 professores.

“Segundo o MEC, estudos têm mostrado que o EAD tem resultados superiores ao ensino presencial. Com essa situação de quarentena, tivemos que utilizar ferramentas para que as aulas não parassem. É um ensino emergencial remoto, mas acredito que essa situação vá dar um grande impulso para que cada vez mais o EAD seja compartilhado com o ensino presencial”, previu.

Nunca vão substituir

No Colégio Palas Atena o EAD começou no dia 17 de março, quando as aulas presenciais foram suspensas.

“Desde 2014 já trabalhamos com esses recursos, então não foi tão difícil a adaptação por já estarmos familiarizados com eles”, explicou o professor Paulo Sérgio, diretor do colégio.

Um complicador, mas que parece não ter afetado em nada o andamento das aulas no Palas Atena, é o fato de o colégio ter alunos desde os três anos de idade, na Educação Infantil.

“Usamos quatro plataformas, uma para cada fase dos ensinos: Infantil, Fundamental, Médio e Tempo Integral. Antes, utilizávamos apenas as atividades disponibilizadas nestas plataformas, agora estamos utilizando as aulas e as atividades”, informou.

“Confesso que foi um grande desafio mudarmos nosso sistema inteiro para o EAD. Fomos aprendendo a fazer a cada dia, durante o percurso. Criamos e-mails para cada um dos alunos e os pais podem tirar dúvidas diretamente conosco”, informou.

O Palas Atena é um dos colégios mais tradicionais de Manaus, com 30 anos de existência. Atualmente reúne 400 alunos.

“Com certeza depois dessa experiência da quarentena as atividades on line vão passar a fazer mais parte do dia a dia das escolas, mas nunca vão substituir as aulas presenciais, com o professor ali na frente dando aulas, conversando olho no olho com cada aluno, com o contato físico entre as pessoas. Para crianças e adolescentes esse contato é necessário, é imprescindível”, assegurou.

Nova didática

O Centro de Educação Meu Caminho sentiu bastante as aulas por suporte remoto porque todas as suas aulas sempre foram presenciais.

“Para o Infantil e o Fundamental I o MEC só permite atividades pelo suporte remoto, e são estes exatamente os nossos alunos, então tivemos que nos reinventar e começar a produzir aulas para eles”, revelou a professora Laura Cristina Vital, diretora do Meu Caminho.

As aulas no Centro de Educação foram paralisadas no dia 23 de março, “e da noite para o dia tivemos que rever toda a nossa forma de dar aulas para os nossos alunos. A solução foi gravá-las e postá-las no nosso canal no YouTube, e tem sido assim desde então”, confirmou.

Como alguns dos professores do Meu Caminho não tinham estrutura para gravar suas aulas em casa, a direção do estabelecimento montou um estúdio no próprio Centro de Educação, onde, em revezamento, eles vão produzir seu material.

“Aqui eles passam por todo aquele procedimento de medição da temperatura corporal e higienização de mãos e braços, e obedecem uma escala, para que não venham vários aos mesmo tempo”, garantiu.

Atualmente o Meu Caminho reúne 150 alunos, na faixa etária de dois a dez anos, e Laura Cristina já começa a observar alguns sinais positivos resultantes da situação.

“Essa pandemia veio para nos tornar mais fortes e abrir janelas. Posso garantir que o EAD jamais substituirá o professor que, desde sempre, é uma referência para o aluno, principalmente pela sua presença”, revelou.

“O que posso dizer é que essas aulas com suporte remoto se tornarão um complemento para as aulas presenciais, por exemplo, já tínhamos contação de histórias, aqui na escola, mas elas estão fazendo ainda mais sucesso nas publicações, no YouTube, então vamos investir nessa nova didática”, concluiu. 

Fonte: Evaldo Ferreira

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email