Drones serão usados para combater crimes eleitorais

A PF (Polícia Federal) vai usar drones para combater crimes eleitorais durante o pleito de 15 de novembro deste ano. A nova ferramenta será utilizada em todos os Estados principalmente em locais estratégicos de municípios considerados com maior possibilidade de ocorrerem irregularidades durante a disputa.

Serão utilizadas mais de 100 aeronaves pilotadas remotamente que vão sobrevoar as principais zonas eleitorais do País, fiscalizando bocas de urnas, compra de votos e combatendo transporte ilegal de eleitores, segundo a PF.

“Com isso, a instituição (Polícia Federal) visa cumprir seu mister constitucional de  polícia judiciária eleitoral e mostrar que está preparada para combater crimes eleitorais, garantindo um pleito seguro para que os cidadãos possam exercer o seu direito de sufrágio dentro da legalidade”, diz uma nota da PF distribuída à imprensa em todo o Brasil.

No Amazonas, por questões de estratégia, a PF não revelou quais os municípios que serão alvo de fiscalização por drones na região, informou o delegado da PF no Estado, Fábio Pessoa.

“Antes do dia da eleição e no dia da eleição, principalmente, vamos utilizar essa ferramenta, fiscalizando aqueles colégios eleitorais que têm o maior número de eleitores para coibir a prática desse crime”, disse o delegado durante uma coletiva à imprensa em Manaus.

Prontidão

O delegado Fábio Pessoa afirmou que, nos casos de denúncias, a Policia Federal poderá alocar uma equipe com capacidade para fazer tomada de imagens e verificar se, realmente, as informações procedem. “Constatada a prática de crime, o suspeito será encaminhado à Polícia Federal para os procedimentos cabíveis, inclusive, lavratura de eventual auto de prisão em flagrante”, acrescentou.

O sociólogo Luiz Antonio Nascimento, professor da Ufam (Universidade Federal do Amazonas), avalia que o drone é mais um recurso tecnológico para a ação da PF. Mas ele faz uma ressalva.

“A Polícia Federal vai atuar como uma polícia de Estado ou uma polícia do governo Bolsonaro?”, questiona. E complementa. “A PF vai investigar os crimes eleitorais, inclusive aqueles praticados por candidatos policiais ou vai intimidar candidatos populares e de esquerda?”.

Os drones têm tecnologia de ponta e podem se tornar imperceptíveis ao voar em elevada altitude. E possuem câmeras capazes de realizar zoom suficiente para identificar suspeitos, placas de veículos, entrega de santinhos e situações de compra de votos, com imagens de alta nitidez, de acordo com a PF. 

As imagens capturadas serão transmitidas a uma equipe da PF que estará preparada para monitorar todas as eleições municipais e adotar as medidas cabíveis diante de atividades suspeitas. 

“Diante de algum flagrante de crime eleitoral, policiais se deslocarão imediatamente para o local indicado visando prender os suspeitos, que serão conduzidos a uma delegacia, onde serão tomadas as providências pertinentes”, informou a superintendência nacional da PF.

Segundo a Polícia Federal, o uso dos drones atende orientações da direção geral da instituição visando prevenir e reprimir ações delituosas com a utilização de novas tecnologias, de última geração. 

Além disso, o emprego de drones diminui a presença física dos policiais e o contato social com não envolvidos em situação criminosa, o que, para a PF, se torna extremamente relevante diante do cenário de medidas de distanciamento social para combater a epidemia do novo coronavírus.

O primeiro turno das eleições municipais está marcado para 15 de novembro. O segundo turno, onde houver, ocorrerá em 29 de novembro. O horário de votação será sempre das 7h às 17h, no horário local.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email