Dilma recupera parte da popularidade

Três meses depois da eclosão das grandes manifestações de rua e do derretimento de sua popularidade, a presidente Dilma Rousseff, conforme pesquisa divulgada hoje pela CNT (Confederação Nacional do Transporte), conseguiu recuperar parte do terreno perdido e experimenta um crescimento significativo na aprovação popular ao programa “Mais Médicos”, que se tornou uma de suas maiores apostas para as eleições do ano que vem.
Conforme o levantamento, feito pelo instituto MDA Pesquisa entre os dias 31 de agosto e 4 de setembro, o governo Dilma é aprovado por 38,1% dos entrevistados. A avaliação pessoal do desempenho da presidente está em 58%.
A última pesquisa, feita em julho, e que já contabilizava os efeitos das manifestações, apontava uma aprovação de 31,3% ao governo Dilma. No início de junho, logo antes da eclosão das manifestações, esse índice era de 54,2%.
Na avaliação do desempenho pessoal de Dilma, o levantamento anterior também apontava forte queda. No intervalo de um mês, sua popularidade caiu de 73,7% para 49,3%.
Os índices divulgados hoje, portanto, apontam uma recuperação de cerca de 20 pontos percentuais na aprovação do governo em relação aos números pré-manifestações.

Eleições presidenciais

A pouco mais de um ano das eleições presidenciais, em que Dilma tentará a reeleição, as pesquisas seguem favoráveis à sua candidatura, embora sem uma zona de conforto significativa. Ela não seria eleita em primeiro turno, conforme todos os cenários pesquisados pela CNT/MDA.
No entanto, ela conseguiu ampliar, ainda que dentro da margem de erro de 2,2 pontos percentuais, a distância para Marina Silva, que continua em segundo lugar na pesquisa.
Dilma, conforme a pesquisa, tem 36,4% das intenções de voto. Marina vem em seguida, com 22,4%. Na sequência, vêm Aécio Neves (PSDB), que manteve os mesmo 15,2% do levantamento anterior, e Eduardo Campos (PSB), com 5,2% da preferência dos eleitores.
Na pesquisa de julho, Dilma tinha 33,4% das intenções de voto. Em seguida, vinha Marina Silva (20,7%), Aécio Neves (15,2%) e Eduardo Campos (7,4%). O número de votos nulos e branco, além daqueles que não votariam em nenhum dos nomes apresentados, chegava a 17,9%.
Apesar da vantagem nas pesquisas, a rejeição a Dilma é a maior entre os potenciais candidatos pesquisados. Não votariam nela “de jeito nenhum”, segundo a pesquisa, 41,6% dos entrevistados.

“Mais Médicos”

A pesquisa CNT/MDA também avaliou a receptividade da população ao programa “Mais Médicos”, que prevê a contratação de médicos estrangeiros para suprir carências de pessoal em municípios no interior do país.
A medida é bastante criticada pela oposição e vem gerando forte polêmica, com restrições também de entidades médicas. No entanto, a pesquisa aponta que 73,9% são favoráveis à contratação de médicos estrangeiros pelo programa do governo. Em julho, eram 49,7% aqueles que se diziam favoráveis à medida.
Além disso, metade dos entrevistados (49,6%) diz acreditar que o programa do governo solucionará “os graves problemas de saúde do país”.
O levantamento também buscou mapear o grau de preocupação da população com o cenário econômico do Brasil. Entre os entrevistados, 52,8% se dizem “preocupados” ou “muito preocupados” com a situação econômica do país.
A pesquisa foi realizada com 2.002 eleitores, em 135 municípios. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email