Digitalização dos pequenos

Pesquisa do Sebrae, em parceria com a FGV (Fundação Getúlio Vargas), revela que a pandemia estimulou a digitalização dos micros e pequenos negócios.

Hoje, 70% dessas empresas atuam nas redes sociais, aplicativos ou internet para impulsionar suas vendas. Em maio, bem no início da pandemia, esse percentual era de 59%.

Em algumas atividades o número de negócios atuando no ambiente virtual teve um incremento superior a 20%, como é o caso dos segmentos de energia, que apresentou aumento de 37%; beleza, com 27%; bem como educação e construção civil, que viram o número de empresas ativas nesse ambiente crescer em 20%.

Principais canais

A plataforma WhatsApp é a preferida pelos empreendedores que inseriram o mundo virtual nas suas vendas, com 84% de adeptos.

Cerca de 90% das empresas que exercem atividades como Artesanato, Beleza e Moda, e que digitalizaram sua comercialização, usam esse recurso para vender seus produtos e serviços.

Instagram e Facebook são as próximas opções, com 54% e 51%, respectivamente.

Apenas 23% dos negócios vendem por sites próprios.

Outro dado apresentado pela pesquisa é que as micros e pequenas empresas usam a digitalização de forma mais profissional do que os MEIs (microempreendedores individuais), pois utilizam ferramentas mais voltadas para a gestão dos seus negócios.

Entre as micros e pequenas empresas, 55% usam ferramentas de gestão. Já entre os MEIs, esse número cai para 25%.

A diferença também é confirmada quando o assunto é ferramentas para gestão de clientes (CRM), que são utilizadas por 25% dos donos de micros e pequenas empresas, mas por apenas 12% dos microempreendedores individuais.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email