Creches poderão funcionar à noite

A CMM (Câmara Municipal de Manaus) deliberou, na tarde de ontem, o projeto de lei 183/2013, de autoria do vereador Professor Samuel (PPS), que autoriza o Poder Executivo a implantar o horário noturno no sistema de funcionamento das creches municipais.
Pela proposta, as creches também poderão funcionar no horário de 18h às 23h, além do horário tradicional de 8h às 17h.
A proposta tem como principal finalidade permitir que mães que interromperam a vida escolar para cuidar de filhos possam retornar aos estudos deixando as crianças nas creches em horários alternativos.
“Essa é uma reivindicação feita por entidades que representam os direitos da mulher e que chamou minha atenção pela relevância social. Sabemos que só com a educação podemos garantir o desenvolvimento dos cidadãos. Medidas simples como essa podem transformar a vida de milhares de mães de família”, defendeu Samuel.
O parlamentar que, também é presidente da Comissão dos Direitos Humanos da Câmara, afirmou que muitas mães perdem a dignidade porque ficam na marginalidade sem formação educacional.
“Muitas mães, infelizmente, são analfabetas ou semi-analfabetas e só terão oportunidade se tiverem chance de estudar. Contudo, elas esbarram na responsabilidade de criar os filhos. Só quem vive esse drama sabe da importância de poder ter uma creche com horários alternativos para deixar os filhos e ir estudar”, completou o vereador.

Dados

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação (Semed), a pasta registrou uma média de 3,6% no índice anual de abandono escolar das unidades de educação do Ensino Fundamental. A Semed tem cerca de 260 mil estudantes. O percentual equivale a 9.360 alunos que deixaram de ir para a escola naquele ano.
Entre as principais causas do abandono escolar apontadas pela secretaria está em primeiro lugar, o desinteresse pelos estudos, cuja causa reside principalmente em questões familiares entre elas a de mulheres que engravidam na adolescência e que são obrigadas a pararem o ciclo normal de ensino.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email