Concorrência entres operadoras passa longe de Manaus

A concorrência entre as operadoras de máquinas de cartão de crédito Cielo e Redecard parece ainda não ter chegado ao varejo de Manaus. Desde ontem, os estabelecimentos comerciais podem utilizar apenas uma máquina de cartão de crédito – POS (Ponto de Operação)– para aceitar diversas bandeiras. Até então, os lojistas tinham que ter em seus estabelecimentos pelo menos duas maquinetas das principais empresas que capturavam as transações exclusivamente para Visa e Mastercard. A unificação promete gerar, no curto prazo, redução dos custos de aluguel e manutenção dos terminais.
Para o presidente da CDL-Manaus (Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus), Ezra Benzion, os lojistas da capital amazonense ainda estão aguardando o desfecho dessa briga para poderem se decidir.
“Estamos orientando os comerciantes a esperarem pelas melhores ofertas, tanto das taxas como dos aluguéis das maquinetas”, afirmou. De acordo com o dirigente, a concorrência entre as operadoras trará retorno tanto para os lojistas como para os consumidores se a redução dos custos for repassada.

Sistema próprio

O gerente geral das lojas Tropical Multilojas, Eric Bandeiras, afirmou que no próximo mês as lojas da marca irão mudar os POS (Pontos de Operação) para um sistema próprio (chamado TEF), utilizado pelas grandes redes de lojas do comércio varejista.
“Esse sistema integra todas as bandeiras em um programa de computador, dessa forma não é preciso pagar o aluguel das maquinetas, somente as taxas sobre as transações que cabem às bandeiras dos cartões”, explicou o gerente. Numa única transação as empresas levam até 4% da venda.
Por meio da assessoria de marketing, as lojas Ramsons anunciaram que nesse primeiro momento, as lojas da rede não mudarão a forma de pagamento com cartões e continuarão a operar com as duas maquinetas até os desdobramentos da concorrência.
O presidente da FCDL/AM, Ralph Assayag, encontra-se em Brasília num encontro entre as entidades regionais com a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) para definir os detalhes dessa modificação e as reais vantagens para os comerciantes.
“Trouxe as dúvidas e expectativas dos lojistas de Manaus para serem discutidas e esclarecidas. Segunda-feira estarei de volta para orientar nossos associados”, declarou Assayag.

Mudança trará economia de R$ 1,2 bi

Segundo projeção da CNDL), o comércio varejista conquistará uma economia de R$ 1,2 bilhão com o início da operação integrada. Esse cálculo é baseado no aluguel pago mensalmente pelos lojistas, que varia de R$ 80 a R$ 200, dependendo do acordo com as negociações e o tipo de equipamento. De acordo com a CNDL, os preços não vão cair a curto prazo , mas a concorrência será vantajosa para os lojistas. “Essa concorrência se dará não só pela atuação das duas gigantes do setor, mas também pela expectativa de que novos players entrem no mercado”, afirmou Roque Pellizzaro Junior, presidente da CNDL. O Banco Santander já providencia a atuação no setor por meio da GetNet. Cielo e Redecard dividem mais de 90% do mercado de credenciamento de lojistas para cartões de crédito e débito.
Conforme as projeções da CNDL, o faturamento do setor deverá crescer mais de 20% neste ano, frente a 2009, baseado na ampliação do número de transações. Com a entrada de novas marcas no mercado, crescerão ainda mais as emissões e transações por essa forma de pagamento.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email