Compras internas do PIM reduzem 3,94% no semestre

As importações de insumos realizadas pelas empresas do PIM (Pólo Industrial de Manaus) apresentaram uma redução de 3,94% no primeiro semestre do ano num quadro comparativo ao mesmo período de 2006. Entre os meses de janeiro a junho, as fabricantes locais adquiriram US$ 2.87 bilhões em produtos importados, enquanto em igual período de 2006 esse total foi de US$ 2.99 bilhões.
Em junho, a compra de insumos de outros países apresentou redução pela quinta vez consecutiva ao atingir um montante de US$ 438.65 milhões, cifra inferior em 13,83% aos US$ 499.35 milhões comercializados no mesmo período do ano passado pela indústria do PIM.
A diminuição no total de insumos adquiridos no mercado externo reflete o atual período de baixa produtividade industrial em muitos setores do PIM, como foi o caso dos televisores, que apresentaram uma redução de 26,42% ao atingir o montante de 4,99 milhões de unidades produzidas, contra o quantitativo de 6,78 milhões aparelhos produzidos no mesmo período do ano passado.
Esse resultado consta nos indicadores econômicos mais recentes da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus), que também apresentou um quadro declinante nas exportações. No primeiro semestre, o comércio exterior do pólo de Manaus atingiu a US$ 445.16 milhões, cifra inferior em 45,81% ao total de US$ 821.47 milhões comercializados nos mesmos meses do ano passado.
Conforme os indicadores, em junho, a exportação do Amazonas sofreu uma queda de 57,56% ao atingir a cifra de US$ 79,40 milhões em divisas externas, ante o montante de US$ 137.94 milhões comercializado no mesmo mês do ano anterior.
Desde o ano passado, o PIM acumula retração no comércio exterior, como conseqüência da perda do potencial de competitividade do celular, produto que liderava as vendas no mercado externo.

Telefone celular

De acordo com os últimos indicadores econômicos da Suframa, entre os meses de janeiro a junho deste ano o setor de telefonia celular apresentou uma queda de 44,93% ao atingir a produção de 8,16 milhões de unidades, ante o quantitativo de 14,83 milhões de unidades produzidas no mesmo período do ano passado.
O diretor-executivo da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), Flávio Dutra, avaliou que o baixo valor da cotação do dólar, mantido nas últimas semanas abaixo de R$ 2, contribui de forma significativa para o declinante resultado das exportações do Amazonas. “Com a baixa cotação da moeda americana, os produtos brasileiros ficam com preços mais elevados no exterior e com isso perdemos potencial de competitividade no mercado externo”, disse.
Ontem, o dólar comercial fechou cotado em R$ 1,92 para compra e venda.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email