Como construímos universos

xxxxx

“Como construímos universos” é um livro sobre o amor, percebido pelas autoras como algo tão essencial à vida que sem ele o planeta não teria ultrapassado o estágio bacteriano. Elas defendem e buscam demonstrar que além do papel crucial na evolução da vida, o amor foi fundamental também na construção da civilização. Para isso, empreendem um estudo profundo sobre o amor, buscando compreendê-lo desde suas origens – que situam na cooperação solidária entre bactérias que habitaram o planeta há cerca de quatro bilhões de anos – até as formas contemporâneas de amor, inclusive o romântico.
A obra apresenta um largo estudo sobre o desenvolvimento e a importância do amor, pontuando que, para compreendê-lo, é preciso enxergá-lo não como um sentimento isolado, mas como um complexo de sentimentos inserido em um contexto afetivo emocional e social. Examina, assim, a diversidade e as formas que o amor assume e expõe as diferenças culturais em relação a esse conceito ubíquo, demonstrando que não é possível identificar as formas de amor que se manifestam em uma cultura sem compará-las com as encontradas em outras.
Com o olhar voltado para os jovens, as autoras analisam também as relações amorosas, mostrando que – a depender de como são administrados – os conflitos nessa esfera podem levar a situações dolorosas e problemas instransponíveis ou a oportunidades de autoconhecimento e descoberta também da outra pessoa, ou seja, a um saudável crescimento afetivo e cognitivo.

Trecho
“Se existe um eixo em torno do qual gira nosso planeta social e o mantém coeso, é indubitável que as emoções e os sentimentos constituem muitas das fibras que formam esse eixo, embora sejam visíveis preferencialmente os “núcleos duros”, e tente-se ocultar a importância dos sentimentos (considerados nosso aspecto mais vulnerável) em torno dos quais giram a maioria dos pensamentos e das ações individuais, políticas e sociais, e – embora possa parecer paradoxal – dos raciocínios que denominamos ‘lógicos’”.

Sobre as autoras
Montserrat Moreno Marimón e Genoveva Sastre Vilarrasa são professoras do Departamento de Psicologia Básica da Universidade de Barcelona. Dirigiram, até 1989, o IMIPAE, centro dedicado exclusivamente à investigação em Psicologia Aplicada à Educação em Barcelona. São autoras de Aprendizaje y desarrollo intelectual e organizadoras de Enciclopedia práctica de Pedagogía, em seis volumes, entre outros livros.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email