Comércio anuncia horário especial

O comércio de Manaus terá seu horário de funcionamento alterado durante os jogos da Copa do Mundo de 2014. Para os jogos realizados em Manaus, os comerciantes podem fechar as portas duas horas antes do jogo e reabrir duas horas depois, ou estender um expediente de cinco ou seis horas diárias e liberar os funcionários. No funcionamento dos shoppings da capital as lojas fecham uma hora antes do jogo e reabrem uma hora depois. O horário especial foi confirmado pelo diretor da Fecomércio (Federação do Comércio de Bens e Serviços, Turismo do Amazonas), José Azevedo.
Azevedo também ressaltou o aquecimento na venda de televisores, o que demandou treinamento específico para as equipes nas lojas que comercializam o produto.
Em relação aos shoppings, vale ressaltar que, durante os jogos, os centros de compras estarão fechados ao público, de modo que não será possível assistir os jogos nas praças de alimentação. A programação interna será direcionada apenas aos funcionários. As lojas reabrem uma hora após os jogos.
No caso do Amazonas Shopping, a programação tem uma mudança já no dia 8 de junho, quando todas as lojas, quiosques e praças de alimentação iniciarão as atividades mais cedo, às 12h, horário que se repetirá nos domingos seguintes (15 e 22), quando também haverá jogos em Manaus.
Os horários especiais foram planejados em cima do calendário do mundial, que inclui os jogos da primeira fase em Manaus (14,18,22 e 25 de junho) e também valerão para os dias de jogos da seleção brasileira (12,17 e 23 de junho).
Azevedo argumenta que manter as lojas fechadas no momento dos jogos é a decisão mais prudente, uma vez que não haverá movimentação de pessoas nas ruas do Centro durante as partidas, praticamente anulando a possibilidade de vendas. Além disso, há o aspecto da segurança, pois as lojas ficariam mais vulneráveis com a reduzida circulação de clientes.
O empresário também mencionou a questão da cheia dos rios, que já atingiu o abastecimento de mercadorias no interior. “Porém, isso é sazonal e nós já aprendemos a conviver com as cheias dos rios”, ponderou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email