Camargo Corrêa lança obra na África

A Construtora Camargo Corrêa lançou ontem seu primeiro empreendimento imobiliário em Angola. Localizado no bairro de Talatona, um dos mais modernos da capital Luanda, o Acquaville Residencial Talatona oferece a praticidade, o charme e o conforto do que se convencionou chamar no Brasil de condomínio clube, empreendimento imobiliário com diversas opções de lazer.
Desenvolvido em parceria com a Escom Imobiliária, do grupo português Espírito Santo, o empreendimento terá oito torres de sete andares e 148 unidades, com tamanhos variados entre 140 e 190 metros quadrados, ampla área de lazer e preço mínimo de US$ 600 mil. Além de atuar no desenvolvimento imobiliário, definindo o conceito e coordenando o projeto, a Camargo Corrêa também será responsável pela construção do residencial.
Para impulsionar a comercialização, a empresa lançou nesta semana no país uma campanha publicitária para divulgar o empreendimento.

Novos
projetos

A Camargo Corrêa deve lançar, até o final do ano, também em conjunto com a Escom, mais um empreendimento no centro de Luanda. Trata-se de um conjunto de três edifícios de alto padrão denominados inicialmente GES1, GES2, GES3, com mais de 100 mil metros quadrados de área construída. Além destes, estão previstos novos lançamentos na parte sul de Luanda, além de diversos empreendimentos em planejamento.
Os projetos da empresa no setor imobiliário de Luanda devem gerar um VGV (Valor Geral de Vendas) na ordem de US$ 500 milhões. Com as perspectivas de crescimento, a Camargo Corrêa sozinha terá um VGV de US$ 400 milhões até o final de 2008.
“Angola vive um momento espetacular de recuperação econômica, o que nos permite cada vez mais investir no país”, disse o diretor da divisão África, Amauri Rodrigues Pinha, que prevê que a divisão da Camargo Corrêa imobiliária em Angola deva ser tão grande quanto os negócios ligados à infra-estrutura.

Desenvolvimento
acelerado

O continente africano vive um processo de desenvolvimento acelerado e a Camargo Corrêa, com seu know-how em engenharia e a experiência na execução de obras de infra-estrutura no Brasil, está contribuindo para este cres­cimento. Dois anos após chegar ao continente, a empresa já realiza investi­mentos locais na ordem de US$ 100 milhões e tem­ a perspectiva de chegar­ a US$ 150 milhões até o final do ano. A região é um dos principais focos de atuação na es­tratégia de internacionalização da companhia, que prevê a expansão de negócios no exterior.
“Está em curso no país um renascimento da produção imobiliária que cria novas oportunidades de negócios”, afirmou o superintendente de incorporação da unidade internacional da Construtora, Carlos Horário dos Santos Filho.

Disputa
acertada

A melhoria e implantação do sistema viário do Porto de Luanda foi o primeiro contrato assinado pela Camargo Corrêa na África. No início de 2006, a empresa venceu disputa entre empresas brasileiras e internacionais para realizar as obras no valor de US$ 18,72 milhões para o governo angolano. A partir de então, os negócios no continente não param de crescer e são otimistas as perspectivas de futuro.
Já são mais de 2.000 funcionários, sendo 75% locais. Além de Angola, a construtora Camargo Corrêa também executa obras em Moçambique e mantém um escritório central na África do Sul.
“O continente africano é estratégico para a Camargo Corrêa e os negócios estão evoluindo rapidamente”, disse Amauri Rodrigues Pinha.
Segundo o diretor, as diversas afinidades culturais, especialmente no que diz respeito à língua portuguesa, facilitam a integração física e econômica do Brasil com a África e favorecem a geração de negócios para a empresa.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email