Brinquedos registram alta de 434% no e-commerce

Com a manutenção do isolamento social para combater a pandemia do novo coronavírus, o e-commerce brasileiro passou a ser a única opção de compra e venda de alguns produtos, segundo o estudo “E-commerce de produtos durante a pandemia de Covid-19”, elaborado pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) e a Konduto, especialista em risco e prevenção à fraude.

Foram analisados mais de 25 milhões de pedidos feitos em 4 mil lojas virtuais entre 1º de março e 25 de abril de 2020. Para o estudo, foram considerados apenas as vendas online de produtos físicos, não incluindo serviços, como viagens e turismo ou aplicativos de entrega, por exemplo. Os resultados foram divididos em 16 categorias.

A categoria Brinquedos e Jogos chegou a registrar aumento de 434,70%, Supermercados (270,16%), Artigos Esportivos (211,95%), Eletrodomésticos (96,66%) e Cosméticos (88,02%). Entre as categorias que registraram maiores perdas estão Livraria (-46,43%) e Autopeças (-57,95%). Confira detalhes do levantamento:

Hoje, a curva do e-commerce já é muito maior do que no início de 2020. Apesar da retração de quase 20% nas vendas quando o isolamento social começou, a população voltou a comprar. Foram duas altas seguidas, em um crescimento acumulado de 47% ao longo do mês de abril.

Fonte: Redação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email