7 de março de 2021
País tem pior superavit em 13 anos - Saldo foi de R$ 2,5 bilhões, Óleo de soja bruto e produtos de ferro e aço tiveram queda de receita

A balança comercial brasileira encerrou o ano com superavit (exportações maiores que importações) de US$ 2,561 bilhões. Trata-se do pior resultado desde 2001, quando houve saldo positivo de US$ 2,684 bilhões. Os dados foram divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Os números estão de acordo com a expectativa do governo, que vinha anunciando estimativa de superavit pequeno, em função da queda das exportações de petróleo.
O saldo positivo anual foi resultado de US$ 242,1 bilhões em exportações e US$ 239,6 bilhões em importações. A média diária das vendas externas, que corresponde ao volume financeiro vendido por dia útil, fechou o ano em US$ 957,2 milhões, patamar 1% inferior aos US$ 966,4 milhões registrados em 2012. As importações cresceram 6,5% segundo o critério da média diária, de US$ 889,2 milhões por dia útil em 2012 para US$ 947,1 milhões em 2013.
Em 2013, cresceram as vendas externas de produtos manufaturados (1,8%), enquanto caíram as de produtos semimanufaturados (-8,3%) e de básicos (-1,2%) na comparação com 2012. Nas importações, houve crescimento nos gastos com combustíveis e lubrificantes (+13,8%), matérias-primas e intermediários (+5,8%), bens de capital (+5,4%) e bens de consumo (+ 3,4%).
Do lado dos produtos responsáveis pela queda, entre os itens que puxaram o recuo nas vendas de semimanufaturados estão óleo de soja bruto (-35% de receita), semimanufaturados de ferro e aço (-30%), ferro fundido (-21,5%), alumínio bruto (-20,1%), ferro-ligas (-16,3%), ouro (-9,6%) e açúcar (-9,4%). No caso dos produtos básicos, caiu o ingresso financeiro obtido com algodão bruto (-47,8%), petróleo bruto (-36,7%), café em grão (-20,5%), carne suína (-9,7%) e fumo em folhas (-0,9%).
O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior também divulgou nesta quinta-feira (2) os resultados do mês de dezembro. No último mês de 2013, houve superavit de US$ 2,654 bilhões, resultado de US$ 20,8 bilhões em exportações e US$ 18,1 bilhões em compras do Brasil no exterior.

Petróleo
As exportações de plataformas para extração de petróleo ajudaram a reforçar o superavit comercial em dezembro e no ano de 2013. Essas operações somaram US$ 1,155 bilhão no mês passado. No acumulado do ano, as exportações de plataformas para extração de petróleo somaram US$ 7,736 bilhões, alta de 426,4% em relação a 2012.
Por conta da exportação das plataformas, as vendas externas de manufaturados em dezembro bateram recorde para o mês, com alta de 15,3%. As exportações de básicos caíram 9,7% no mês passado ante dezembro de 2012 e as de semimanufaturados, 4,7%, de acordo com dados do Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio) divulgados nesta quinta-feira (2).
As vendas externas de manufaturados registraram alta no ano passado (1,8%). Já os semi manufaturados apresentaram queda de 8,3% e os básicos, de 1,2% em relação ao ano anterior.
A China foi o principal destino das exportações brasileiras em 2013, totalizando US$ 46,026 bilhões, um crescimento de 10,8% em relação a 2012. Os Estados Unidos ficaram em segundo lugar. As vendas externas brasileira para o mercado norte-americano somaram US$ 24,856 bilhões, queda de 8,2% em relação ao ano anterior.
Apesar de todas as dificuldades no comércio bilateral, a Argentina foi o terceiro destino das exportações brasileiras que totalizaram US$ 19,616 bilhões, o que significa um incremento de 8,1%.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email