American Airlines suspende voos entre Miami e Manaus

A companhia aérea American Airlines decidiu suspender os voos operados entre Miami e Manaus devido à pandemia de coronavírus que afetou a demanda. A retomada da rota  internacional,  deve acontecer somente no dia 1º de novembro de 2021. A maioria das áreas que operam no país suspenderam suas atividades em função do fechamento das fronteiras.

Retomada da rota Miami/Manaus deve acontecer no dia 1º de novembro 
Foto: Divulgação

Quanto ao panorama da malha aérea no Amazonas, o  vice-presidente de turismo emissivo da  Abav-AM (Associação Brasileira de Agências de Viagens do Amazonas), Jaime Mendonça Júnior diz que praticamente as opções de voos internacionais que tem no Estado são os destinos de Panamá e Miami, ambos os voos vivem das rotas de Chile e dos EUA que permanecem fechados para os brasileiros por isso a suspensão de voos pela companhia. “Não tem como manter o avião operando sem passageiros. Essa decisão da American que estava operando, acredito que com contrato de carga ou trazendo pessoas para ajuda humanitária aqui para Manaus”. Ele lembra que a maioria dos destinos em que tanto a American quanto a Copa Airlines estão fechados então não há razão para estarem operando no momento voos no Amazonas.

Mendonça afirma também que alguns voos nacionais também foram reduzidos em função do segundo pico da Covid-19 o que retraiu o fluxo de viajantes. “Pelo menos o turismo de lazer reduziu bastante. O que tem mantido  é o turismo corporativo que é muito forte aqui”.

De acordo com Mendonça o que pode-se esperar na pós-pandemia é a grande melhoria no Aeroporto Eduardo Gomes que vai ser administrado por uma empresa francesa e as perspectivas são excelentes para o setor. “Mas também vai depender da situação econômica do país, bem como outros fatores, mas mesmo assim a gente vê que o futuro é bem interessante no que concerne à parte aérea e isso já abre muitas portas”. 

A procura por voos com destino ao Estado apresentou queda  de 90% durante a pandemia. Os voos internacionais estavam operando com malha aérea reduzida em 50% isso em fevereiro, e contava apenas com a empresa American Airlines. “Mesmo com a oferta de voos semanais não havia procura”. 

Segundo a Associação, entre janeiro e março deste ano, houve a reativação de 80% dos voos, cancelados pelos clientes, ano passado,  porém a demanda ainda permanece baixa.  O setor prevê que só a partir do segundo semestre o mercado voltará a níveis satisfatórios. 

Há um ano o turismo receptivo não tem retorno.  Quando o setor aguardava a recuperação, o Estado enfrentou o segundo pico da pandemia levando o Amazonas a situação de calamidade. A pouca demanda que teve estava associada ao número de cancelamentos. A aposta do segmento é a vacina para que o Estado volte a se reerguer em níveis pré-pandemia. 

Em janeiro, a Copa  Airlines no Brasil havia retomado os voos para  Manaus, contudo só operou dois dias.  Na ocasião, a capital amazonense teria duas frequências semanais conectando o destino ao Aeroporto Internacional de Tocumen, no Panamá, e suas conexões em todo o continente americano.

Decisão

Em nota, a American Airlines informou que  continuará a operar como a maior companhia aérea dos Estados Unidos no Brasil, com voos para as cidades de São Paulo (GRU) e Rio de Janeiro (GIG).

De acordo com a empresa, as viagens programadas com embarques ou desembarques na capital serão reacomodados em voos da empresa GOL Linhas Aéreas com conexões em Guarulhos (SP) -GRU e Rio de Janeiro (GIG) -aeroporto do Galeão. Caso o cliente não queira fazer a reacomodação, a American oferecerá um reembolso total das passagens.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email