Há muito tempo, pesquisadores do Inpa (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia) sabem do potencial biotecnológico e nutricional de diversos frutos amazônicos, em especial do açaí, auxiliares na prevenção e controle de doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes, colesterol e obesidade.

Recentemente um estudo da Universidade de Toronto, no Canadá, em conjunto com a Universidade de São Paulo, feito com extrato de açaí, apontou que o fruto pode amenizar os sintomas mais graves e inflamatórios do coronavírus. Foram recrutadas 580 pessoas, que estão sendo acompanhadas e os resultados do exame têm previsão de divulgação para o final do ano.

Os pesquisadores acreditam que pelo fato de o açaí ter poder anti-inflamatório, poderia melhorar a recuperação de pacientes com covid e ajudar na prevenção de complicações causadas pela inflamação. Se os resultados do estudo forem satisfatórios, os pesquisadores já pensam em administrar o extrato na luta contra a covid.

Rico em proteínas, fibras, lipídios, vitaminas e minerais, além de seu poder de prevenir e controlar doenças, o açaí é um importante suplemento alimentar, utilizado há séculos pelas populações amazônicas.

O Jornal do Commercio ouviu Andrea Takayama, nutricionista da Oakberry, principal empresa brasileira que tem como foco em seus produtos, o açaí, e está presente em mais de onze países comercializando o fruto amazônico.

“O açaí em sua forma mais natural possível, sem conservantes, xarope de guaraná, corantes e associado a uma alimentação saudável, equilibrada e a práticas de exercícios regulares, só irá ajudar a potencializar os efeitos benéficos existentes nele no organismo”, disse Andrea.

Tomar açaí não engorda

“A alimentação tem o papel muito importante no desempenho e na evolução do condicionamento físico. Para definir a quantidade de açaí necessária para cada pessoa, é preciso fazer uma análise individual, levando em consideração o objetivo, peso corpóreo, metabolismo, tipo de exercício, gostos alimentares e condições de saúde”, explicou.

Outra qualidade do açaí é ser um excelente energético. Porém, como cada pessoa possui um aporte calórico, a quantidade ideal também varia de acordo com o estilo de vida, objetivos, tamanho e peso corpóreo.

O açaí é um fruto rico em gorduras e fibras que fornecem energia de liberação mais lenta no organismo, dando a sensação de saciedade. No entanto é um fruto calórico, devido a gordura ser a sua maior fonte de energia. O consumo do açaí quando associado a uma alimentação saudável, equilibrada e a prática de exercícios físicos regulares não oferece riscos para os que estão preocupados com o ganho de peso.

“Muitos acham que por possuir alto teor de gordura, o açaí engorda, mas o que precisa atenção são os acompanhamentos como: xarope de guaraná, leite condensado, leite Ninho, granolas, entre outros, ricos em açúcares, o que aumenta o valor calórico do açaí e consequentemente o pico de insulina no sangue, o que estimula o organismo a sintetizar mais gordura”, revelou.

O açaí é um alimento composto de diversos nutrientes que só trazem benefícios para a saúde. Por isso é considerado um superalimento. Ele é indicado para todas as pessoas, desde os seis meses de idade, e que estão a procura de um alimento saudável, nutritivo, energético, refrescante e saboroso.

Precatoria e oleracea

Quem mora no Amazonas e, com certeza, quem mora no Pará, sabe que há uma ‘briga’ silenciosa entre os dois Estados para provar que o açaí existente no Amazonas é melhor do que o do Pará, o mesmo pensando os paraenses do açaí natural de lá. Realmente há duas espécies.

O açaí do Amazonas é o Euterpe precatoria, enquanto o do Pará é o Euterpe oleracea, mas a natureza é tão sábia que o açaí amazonense produz durante seis meses do ano, e o paraense, os outros seis meses, e um completa o outro, em qualidades, não sendo este melhor do que aquele, ou vice-versa, muito embora os paraenses estejam na dianteira do comércio do fruto para o Brasil e o exterior porque há muito mais tempo o exploram, ainda mais que o precatoria começa a dar frutos com sete anos, enquanto o oleracea, com quatro anos já está repleto de cachos, o que tem feito os produtores se interessarem em cultivar mais este tipo de variedade, e pode causar a extinção da outra, porém, pesquisas recentes têm mostrado que o precatória é uma das superfrutas existentes no mundo, cujos teores oxidantes (leia-se anti-envelhecimento das células) são bem superiores aos da oleracea, e algumas empresas já estão de olho nisso.

“O açaí, que é base dos produtos da Oakberry, é originário do Amazonas”, garantiu Andrea.

Competições à parte, entre amazonenses e paraenses, o importante é que o açaí continue a beneficiar o mundo com as multiqualidades que a natureza lhe proporcionou. No Amazonas os grandes produtores de açaí são os municípios de Anori, Anamã, Manacapuru, Nova Olinda do Norte, Codajás, Manaquiri e Itacoatiara.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email