Pets ganham mais atenção do mercado

Compartilhe:​

Quem não gosta, hoje, de ter um pet ao lado? Eles são incríveis, alegrando famílias, trocando afetos e ‘lambeijos’. E estão sempre à disposição de seus tutores, a não ser quando alguma doença oportunista ou agressão os inflige.

É um mercado que movimenta bilhões de dólares, tanto no Brasil como em todo o mundo. E, por aqui, também não é diferente, algo que está materializado com o número de empreendimentos existentes, hoje, em Manaus.

Existem mais de 100 lojas pets espalhadas em todas as áreas da capital. No interior, também não é diferente. Os ribeirinhos fortalecem as atividades de um segmento que agrega muita prosperidade. Afinal, os animais domésticos passaram a ser vistos como membros das famílias.

Gatos e cachorros já ocupam uma posição especial no seio familiar. E tutores não hesitam em gastar (e muito) para manter os bichinhos com boa saúde, levá-los esporadicamente ao veterinário, além de alimentos e vacinas.

Nos últimos anos, Manaus se transformou em uma cidade ‘boa pra cachorro’. É o jargão popular que se ouve quando se fala dos pets. E muitos nem se incomodam em cobrir os animais de carinho, amor e muito afeto, em público.

“Nossa, eles são muito especiais. Não troco a companhia deles por pessoas. São fiéis e companheiros em qualquer hora do dia”, diz a dona de casa Erlina Silva, que tem seis cães e cinco gatos. “Dedico toda a atenção aos bichinhos, ficando sempre de olho na saúde dos meus amiguinhos”, acrescenta ela, sem esconder a emoção.

Aproveitando o boom no mercado de produtos pets, shoppings e outros grandes centros comerciais de Manaus passaram a oferecer um local especial aos animais. Eles podem pular, correr, desfrutar de toda uma recreação promovida para enriquecer os lucros das empresas. São dezenas deles praticando atividades recreativas com outros pets, e crianças.

Com certeza, enquanto os pets brincam, seus donos saem para fazer compras, deixando a sua contribuição para as contas dos lojistas. “É importante promover espaço assim para tirar o estresse dos animais. Muitos ficam presos em casa enquanto seus tutores trabalham”, afirma Analde Marshal, que tem duas cadelas e dois cachorros, todos sem raça definida, os famosos ‘vira-latas’.

O sobrenome Marshal dá um toque especial à tutora, despertando curiosidades. A primeira impressão é que ela veio dos Estados Unidos ou de outro país que tem como o idioma o inglês. “Nada disso, apenas acrescentei a denominação de forma espontânea. Sou cabocla daqui mesmo, e me orgulho de ser”, destaca ela.

Orçamento

Manter a saúde em dia dos bichinhos tem grande impacto no orçamento das famílias. Mas a dedicação a eles ofusca qualquer reclamação quando o assunto é dinheiro para deixar o pet livre de doenças, entre outras ameaças.

Uma consulta ao veterinário chega, hoje, a R$ 150, em média, mas pode atingir mais de R$ 200 em clínicas especializadas e sofisticadas, em Manaus.

“Faça de tudo para proteger o meu gatinho, que amo como um filho. E não me importo com quem me critica por tanta dedicação”, afirma a estudante do ensino médio Lenira da Silva, aficionado por felinos. “Eles são capazes de apaixonar qualquer pessoa. Não sei como ainda existe gente que maltrata os animais de estimação”, lamenta a tutora.

A legislação em proteção aos animais domésticos evoluiu muito no Brasil. Eles estão amparados por regras mais rígidas. Qualquer situação de maus-tratos pode ser denunciada à polícia, com possibilidades de punição e pagamento de multas.

Porém, as leis ainda estão engatinhando e, em geral, os agressores acabam sendo libertados. Em países onde a causa animal já atingiu maiores níveis de consolidação, o abandono de animais dá cadeia. E a punição pode culminar ainda em pesadas multas aos responsáveis.

A indústria pet se aproveita da tendência de maior responsabilidade pelos bichinhos, agregando cada vez mais lucro. Há uma infinidade de produtos, entre rações, guloseimas, roupas, só para citar algumas ofertas, à disposição dos tutores. Os mimos são grandes motivadores de gastos. Quem pode pagar mais, leva mais itens, tudo para dedicar ao seu bichinho de estimação. E vale o esforço.

Marcelo Peres

Marcelo Peres

Qual sua opinião? Deixe seu comentário