Parecido não é igual!

Compartilhe:​

Foi a partir de um livro de parônimos, a mim ofertado pela minha genitora, que me encantei por esse universo, de vocábulos semelhantes, mas não iguais entre si.

JULGO X JUGO

“Eu julgo plenamente possível que ainda haja mulheres que vivam sob o jugo de esposos machistas”. Notem que cada um dos vocábulos possui significados distintos entre si. Vamos às definições? “Julgar. 3. Supor, imaginar, conjecturar” (julgo. 1.ª pessoa do presente do indicativo). “Jugo. S. m. 3. opressão, sujeição”. Um esclarecimento, quando vocês virem um “3”, em uma definição de dicionário, por exemplo, indicará que se trata de uma das acepções (significados) e que, provavelmente, há outras para você pesquisar, desbrave!

ENTEDIADO X ENTEDEADO

Aquilo que a maioria dos adolescentes experiencia, principalmente a partir da segunda semana de férias, chama-se “tédio” ou “tédeo”? A reposta é, naturalmente, “tédio”. Opte, então, por “entediado”, com “i”. Aqui essa mnemônica (associação cerebral) é possível e bem oportuna.

MECHA X MEXA

Vou dar uma dica, uma é substantivo e a outra um verbo. “Mecha” (é) é substantivo e significa, parte do cabelo ou madeixa. “Mexa” (ê) é verbo e significa ato de mexer. Dessa feita, evitem orações como as que seguem: 1. “Não mecha nas frutas” (mexa). 2. “Mecher no meu livro, não!” (mexer). Fica a dica.

Joyce Tino

Joyce Tino

Qual sua opinião? Deixe seu comentário