Ações para o Festival Folclórico de Parintins 2024 dispara

Compartilhe:​

O presidente do boi Caprichoso, Rossy Amoedo e o presidente do boi Garantido, Fred Góes, reuniram com o presidente da Amazonastur (Empresa Amazonenses de Turismo), Ian Ribeiro e com o secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado (SEC-AM), Marcos Apolo Muniz, para alinhar os mínimos detalhes para o Festival Folclórico de Parintins, agendado para os dias 28, 29 e 30 de junho de 2024.

O planejamento para o Festival Folclórico de Parintins 2024 já começou com o  calendário que neste ano repete a tradição do festival folclórico desde a sua criação, bem como a entrada de novos patrocinadores para o Festival. Também entrou na pauta a possível presença do presidente da República.

Segundo Apolo, a reunião contribuiu para o alinhamento de vários calendários e lançamentos inovadores para o próximo Festival que poderão ser lançados até o final deste ano.

Teatro Amazonas em breve será Patrimônio Mundial da Unesco.

O Teatro Amazonas e o Theatro da Paz, localizados em Manaus (AM) e Belém (PA), poderão ser reconhecidos como Patrimônio Mundial pela Unesco. O primeiro passo para a elaboração da candidatura dos Teatros da Amazônia será dado a partir desta quarta-feira (13/12), às 14h, no Palacete Provincial. O evento é aberto ao público.

Teatro Amazonas um dos melhores do país deverá entrar para a lista como Patrimônio Mundial da Unesco.

A programação conta com a apresentação de conceitos, princípios e procedimentos para a candidatura a Patrimônio Mundial. Na sequência, serão expostos os requisitos de proteção, conservação e gestão do Teatro Amazonas e do Theatro da Paz. Durante a semana, as ações seguem com visitas técnicas e discussões para elaboração das ações previstas nos próximos anos. 

A primeira oficina de mobilização para tornar o Teatro Amazonas e o Theatro da Paz Patrimônio Mundial pela Unesco envolve os governos dos estados do Amazonas e Pará, prefeituras de Manaus e de Belém, representações da sociedade civil, pesquisadores e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), que deve coordenar o processo da candidatura e apresentá-la, representando o Brasil, ao Centro do Patrimônio Mundial da Unesco.

Soraya Cohen

Soraya Cohen

é editora da coluna Turiscando

Qual sua opinião? Deixe seu comentário