11 de agosto de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Caderno: Follow-Up

Codam confirma alta nos investimentos na ZFM

Zona Franca de Manaus no STF, Alea jacta est

Estamos, em última instância, discutindo um contrato de negócio entre a ZFM e a União – o Estado brasileiro, e não com o governo federal de plantão que supõe poder frauda-lo. Por Thomáz Nogueira e Cia. – Edição BrasilAmazoniaAgora – Coluna Follow Up  A flecha, ou a sorte, foi disparada. Bancada parlamentar do Amazonas, reduzida, porém aguerrida, cumpriu sua parte e encaminhou – para o ministro Alexandre de Moraes da Suprema Corte – o posicionamento do Amazonas sobre os ataques por decretos da União Federal. O Documento em destaque tem o propósito de resguardar os direitos constitucionais da ZFM, a economia do

“Nos últimos sete anos a fome dobrou no Brasil”

(*) Régia Moreira Leite Na média nacional, 15% dos brasileiros estão abaixo da linha da pobreza, ou seja, vulnerabilidade extrema. Entretanto, a realidade varia de acordo com a região. No Nordeste, esse número é de 21%. Na região Norte, chega a 25%. E o que nós, da Amazônia, empreendedores no Polo Industrial de Manaus temos a ver com isso? Temos tudo a ver pois não somos cangurus que entre uma linha ou outra de produção enfiamos a cabeça no buraco da indiferença social. Já provamos isso. Por isso, encarecemos sua atenção para esta pequena reflexão acerca deste grande problema social,

Amazônia/Bio&TIC, o engenho e a arte de uma geração empreendedora

“…não existe nenhum caminho exceto a prosperidade. Toda sociedade desenvolvida que eu conheço atingiu o desenvolvimento por meio de um setor privado pujante. E, nesse contexto, o empreendedorismo é o principal instrumento. Buscar empreendedores no território amazônico talvez seja a mais interessante iniciativa possível, e com maior impacto no longo prazo”.  Denis Benchimol Minev – CEO da Bemol Por Carlos Koury e Alfredo Lopes________________________________ A realização da ExpoAmazonia Bio&TIC, nos dias 30 de junho a 2 de julho próximos, será o retrato de uma utopia, colorida, biotecnológica, digital e inovadora da economia sustentável da Amazônia, a partir de Manaus, a joia da Coroa, situada no

Bio&TIC, a transição para a Amazônia 4.0

É hora de avançar, quebrar paradigmas da acomodação, descartar os argumentos do conservadorismo que se opõe ao protagonismo. O programa ZFM está vivo e dispõe de um portfólio pulsante, capaz de integrar para não abrir mão da antecipação da utopia e suas pedras fundamentais de estruturação da brasilidade, de verdade. Por Nelson Azevedo(*)________________________ Longe de esvaziar o Polo Industrial de Manaus, como os recentes decretos federais, direta ou indiretamente sinalizaram, está na hora do Brasil acolher, em regime de mutirão, a planta industrial da floresta, a segunda em importância e resultados para a economia brasileira, apesar de representar apenas 0,6% dos

Amazônia, as portas abertas do esclarecimento e do reconhecimento

Por Alfredo Lopes (*)  “Pra não dizer que não falei das flores”, a secretária Glenda Lustosa, da Indústria, Comércio e Serviços, do Ministério da Economia, que tomou posse em março último, tão logo começaram a edição dos Decretos sombrios, veio visitar a Suframa. Foi recebida com a hospitalidade informal e atenta do superintendente Algacir Polsin, que tratou de mostrar-lhe o que é a tal da Zona Franca de Manaus. E neste evento, a propósito, ficou demonstrada a abissal diferença entre os que ouviram dizer e os que viram fazer.  No roteiro de Glenda Lustosa estava a Samsung, a Moto Honda

Sobre cenários e desafios

Todas essas oportunidades exigem governos voltados ao interesse social e coletivo. Neste momento, as instituições sociopolíticas e toda a sociedade estão devastadas e os valores de uma nação destruídos. O sistema educacional sofre golpes que o levará ao retrocesso de décadas. Grande parte da elite brasileira se apequenou diante de tanta destruição social e institucional na vã esperança de uma reforma econômica em prol de si mesma ou da privatização de uma estatal. Há uma reconstrução nacional a ser conduzida em meio a grandes transformações e inovações a serem promovidas. Os desafios do próximo governo se agigantaram, mas nossos políticos

Todas as vidas importam!

“A campanha do Maio Amarelo traz uma pauta relativamente simples e transcendental, mobilizando corações e mentes para meditar sobre o significado do verbo cuidar e do gesto de salvar vidas”. Por Paulo Takeuchi (*) Na lua, na grua, ou no trânsito da rua, todas as vidas importam. O mês de maio – e sua cor amarela a significar o “presta atenção” do semáforo da esquina – está chegando ao fim, mas a campanha para salvar vidas certamente vai continuar. É claro, pois se trata de uma pauta de cuidados que movimenta toda a energia que há em nós. Um movimento

ZFM, por que a mudança se faz necessária?

“Temos clareza de que não há alternativas, nem a curto nem a médio prazo,  e talvez nem a longo prazo, para substituir a Zona Franca de Manaus, sua magnitude, importância e  necessidade que este programa de desenvolvimento regional ganhou ao longo desses 55 anos“ Jaime Benchimol, economista e empresário Repensar a Zona Franca de Manaus não significa que é preciso acusar o golpe de sua desconstrução e – num passe de mágica – tirar da cartola um novo modelo mental em que as pessoas possam trabalhar e sustentar suas famílias. Quem pensa assim é, principalmente, insano. O que nós precisamos

CBA, a boa notícia!

E qual é a novidade desse acontecimento? É que já se passaram 20 anos da inauguração das instalações do Centro de Biotecnologia da Amazônia, o sonhado Polo de bioindústria, aquele que deveria buscar os princípios ativos da floresta, sem desmatar suas árvores, mas apenas copiar as soluções que a natureza dispõe – e que não são poucas – para problemas que atormentam a humanidade, tais como a saúde, a velhice, a insegurança alimentar… para dar três exemplos. Respostas, como dizem os cientistas, disponíveis aos montes na Amazônia.   Por Wilson Périco(*)  _______________________ “O sol há de brilhar mais uma vez”, diria

A Zona Franca de Manaus, segundo Paulo Haddad  

A Zona Franca de Manaus é um dos polos de desenvolvimento da Amazônia que apresentam uma história de sucesso no conjunto das políticas de desenvolvimento regional no pós-II Grande Guerra. Por Paulo Roberto Haddad A Zona Franca de Manaus nasceu no bojo das políticas de desenvolvimento regional do Governo Federal visando a reduzir as profundas desigualdades socioeconômicas nas condições de vida entre todos os brasileiros, independentemente do seu destino ser determinado pela loteria da vida.  Uma assimetria espacial no padrão de vida dos brasileiros que é politicamente intolerável em uma democracia federativa moderna. Não se pode admitir que a renda per capita média dos

A CNI, a ZFM e a segurança jurídica

As empresas vão exportar para o país a partir do Uruguai, ou do México, aquilo que aqui já fabricamos. Talvez seja melhor para as empresas, mas também para os predadores. Mas será péssimo para o consumidor brasileiro, para o clima, para o agronegócio e reservatórios de água do Sudeste brasileiro Por Nelson Azevedo -Nelson é economista, empresário e presidente do Sindicato da Indústria Metalúrgica, Metalomecânica e de Materiais Elétricos de Manaus, Conselheiro do CIEAM e vice-presidente da FIEAM.  Na última sexta-feira, 13 de Maio, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) solicitou ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de

“A ZFM é responsável pelo aumento do preço da carne”

“A vinculação da ZFM à elevação do preço da carne só faria sentido na cabeça de alguém que seja contrário a manutenção de 97% da nossa floresta em pé, graças ao tipo de economia que adotamos. “ Wilson Périco – economista, empresário e presidente do CIEAM Centro da Indústria do Estado do Amazonas Nas redes sociais algumas pérolas refletem opiniões desencontradas sobre a economia do Amazonas. Vejamos algumas:  “A Zona Franca de Manaus é responsável pelo aumento do preço da carne no resto do país”. “O Brasil não pode parar para atender os privilégios da Zona Franca.” “Os investidores que apostam no Amazonas ganham bolsa