Oportunidades para uma nova geração de negócios

O eviterno debate sobre o Polo industrial de Manaus, associado a emergência em identificar novos modelos de negócios para o estado do Amazonas, aliado ao potencial de recursos naturais aqui disponíveis, acendem a esperança em trazer melhorias para a nossa sociedade de forma escalável por meio de produtos e serviços desenhados para os desafios contemporâneos de população jovem e em situação de vulnerabilidade social e econômica. 

Certamente o caminho do empreendedorismo, aliada a ciência e tecnologia, é quem proporcionará as transformações positivas por meio de soluções inovadoras para problemas antigos que tornaram-se complexos, por absoluta tentativa de apenas se repetir o passado, propiciando a incapacidade de sustentar iniciativas promissoras e muito menos as multiplicar, sem depender de doações continuas. 

Diante deste desafio tenho observado que as diferentes iniciativas de Aceleradoras no Amazonas, consideradas  organizações com o propósito de apoiar com capital financeiro e intelectual empresas relativamente emergentes e que tenham ideias diferentes e promissoras, passam a ser um dos caminhos em inserir novos talentos no mundo de oportunidades. Estas que o Estado reconhecidamente possui, e cujo desafio principal é desenvolver ou aprimorar um modelo de negócio, prioritariamente nascente de conhecimento adquirido, onde as Aceleradoras podem cobrir o “gap” no apoio intelectual existente.

Ao contar com uma Aceleradora, empreendedores passam a ser acompanhados, participando de processos de aprendizagem e compartilhamento de contatos.

Ressalta-se que apenas possuir a disponibilidade de recursos naturais é importante, mas não é o suficiente, para gerar novos negócios potencializando melhorias na sociedade em uma economia de escala por meio de produtos e/ou serviços desenhados para os desafios, p.e., de populações em situação de vulnerabilidade social e econômica. 

O caminho certamente não é fácil, pois requer foco, capacitação, participação, alinhamento de objetivos, redes de contatos, serviços, utilização de ferramentas tecnológicas, entre outras. 

Ainda assim, acredito que as oportunidades são superiores aos desafios na força do empreendedorismo com esses aportes adicionais para propiciar transformações positivas por meio de soluções inovadoras, sendo capazes de auto sustentação sem depender de doações e de impactar positivamente um grande número de pessoas.

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário