Um novo começo exige novas atitudes

Estamos nos primeiros dias do primeiro mês do ano. Desde antes da virada de 2021 para 2022 certamente muitos planos foram feitos, muitas metas estabelecidas, objetivos a serem alcançados… tudo isso é muito bom, pois como dissemos no Artigo anterior: – cada novo dia de vida que temos é uma oportunidade nova que DEUS nos concede para fazermos mais e melhor em cada área de nossas vidas. Renovam-se as oportunidades de agirmos diferente, corrigindo os erros e aprimorando os acertos. Digo com convicção que ninguém jamais está plenamente preparado para nada neste mundo, especialmente para os diferentes desafios que se apresentam. Contudo, na força divina, com foco, fé, muito empenho e comprometimento nós conseguimos vencer a cada um deles, com CRISTO em Primeiro Lugar, pois ELE nos dotou de capacidade antes mesmo de nascermos.

O que dissemos no parágrafo anterior não se resume a frases encorajadoras. Porém, para que estas palavras se tornem realidade em nossas trajetórias é necessário que façamos aquilo que ninguém pode fazer por nós: a nossa parte. É muito importante planejarmos e querermos que tudo, ou pelo menos algumas coisas, sejam diferentes no novo tempo que se inicia. Todavia, só vontade e planejamento não vão fazer com que ninguém vá além disso. Precisamos sair das nossas ‘zonas de conforto’ nas mais diversas áreas. Temos que nos auto-desafiar. Engana-se quem pensa que o parâmetro correto é se comparar com A, B ou C ou tentar provar que se pode fazer ou ser melhor do que quem quer que seja. Isso é mediocridade.

Nossos verdadeiros indicadores de êxito devem estar fundamentados em nós mesmos, em nosso desempenho e em nosso progresso, de forma a buscarmos nos auto-superar a cada dia.  Quando digo isso não me refiro ao fato de termos determinadas pessoas como referenciais. Não é errado (pelo contrário) você admirar a conduta, a maneira de ser e de agir de indivíduos que nos inspiram. Isso é natural, saudável e importante, porque ninguém conhece tudo e as características louváveis devem ser aprendidas. A questão que abordamos aqui é acerca da falta de responsabilidade para se tomar as rédeas da própria vida. Ao mesmo tempo em que só nós podemos decidir agir diferente para alcançar novos resultados, também é fato que somente nós podemos retirar das nossas vidas as barreiras que colocamos.

Um exemplo simples e literal de que a forma e a intensidade da semeadura fazem toda a diferença no tipo e no tamanho da colheita que haverá é a seguinte alegoria: “ quando um agricultor planta um determinado número de sementes em um espaço delimitado para isso (terreno), mas almeja ampliar sua plantação, ele necessita expandir seu local de plantio e aumentar o número de sementes que vai colocar e arar na terra. Somente com uma mudança de mentalidade e de atitude é que ele vai conseguir obter um melhor e maior resultado; e isso demanda também um maior esforço, mudança de ação, de método e de disposição”.

Com este claro exemplo, queremos deixar a mensagem neste início de ano de que o nosso tempo está repleto de “papéis em branco” para serem escritos nos dias e meses vindouros. Mas nós é quem vamos decidir o que será escrito em nossas “folhas em branco”. Sendo assim, a concretização dos nossos projetos depende muito mais da nossa disposição, da nossa garra e do nosso foco do que de quaisquer outros fatores. Sabemos que nada é fácil de se construir, mas se temos sonhos, alvos e a vontade de progredir é preciso nunca deixarmos de batalhar, agindo com diligência e sinceridade em toda e qualquer situação; respeitando sempre o espaço do outro e não se abatendo com as adversidades que se apresentem.

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário