LIMITAR

    Thomas Carlyle declarou : “O grande homem demonstra a sua grandeza com a maneira pela qual trata os pequenos”. Entendo que viver é a leitura de livros, é conhecer o mundo, é aprender coisas novas e acima de tudo é respeitar a vida.

     Infelizmente , o país atravessa outro período nebuloso em sua história – contribuindo para isso os jornalistas que entregaram suas almas para o diabo – bem como parte de um Judiciário há décadas desacreditado. Muitos deviam seguir o exemplo do ex-Ministro Joaquim Barbosa, e agora do Desembargador Sebastião Coelho da Silva depois de mais de 30 anos de serviços prestados por “não estar feliz com o STF” – em razão do teor do discurso do Ministro Alexandre de Moraes. Aliás, como mackenzista sinto vergonha em saber que este é professor nessa instituição.

  Em seu último atentado à democracia,  à liberdade de expressão e às prerrogativas do advogado que se constituem nas garantias do cidadão e, portanto, pílares do Estado Democrático de Direito; o Ministro Alexandre de Moraes perseguidor do Presidente Jair Bolsonaro e dos bolsonaristas determinou a apreensão de celulares e o bloqueio de contas bancárias de vários empresários – ignorando a PGR e usando a PF para fins ilegais e inconstitucionais, gerando o”inconformismo  e a indignação dessa instituição” por serem  medidas autoritárias e sem respaldo legal. A determinação de busca e apreensão, quebra de sigilo bancário, e condução coercitiva afrontam os direitos individuais constantes do artigo 5º da Constituição. 

  Assim, os constantes abusos e violações perpetrados por certos Ministros, estão a merecer outro tipo de repúdio por parte da PGR e até do CNJ. Em boa hora, o Desembargador Federal Clovis Correa de Oliveira Andrade Filho protocolou junto a CNJ ação contra o Ministro Alexandre de Moraes solicitando o impedimento deste para ocupar o cargo de Presidente  do TSE – pelo seu comportamento inadequado – “agindo unilateralmente, ignorando a PGR e perseguindo bolsonaristas”. Seu objetivo é tentar incriminar o Presidente, usando de sua constante parcialidade – o que o afasta da função de presidir o pleito; eis que é cristalinamente impedido por força da lei. 

     Hoje, enquanto o Judiciário estiver invadindo os demais poderes, estamos a viver a ditadura da toga, em que a cumplicidade do Ministro Presidente do STF e seu silêncio bem revela uma postura covarde e protetora daqueles seus pares que soltam criminosos e prendem empresários que geram empregos e pagam tributos, sem o exercício do legítimo direito de defesa.

   Mas agora “alea jacta est” porque provocado o CNJ tem de agir e de forma rápida; enquanto na economia temos uma deflação de 0,73% em agosto, o que derrubou a inflação anual para 5,02%, menor taxa dos últimos 31 anos. O ex -presidiário “chamou os empresários do agro que geram emprego e riqueza para o país de fascistas”, estes darão nas urnas a resposta. Por isso tudo, não é sem razão que o Ministro Marco Aurélio disse: ”Eu me arrependo de assinar a carta da democracia”. Os destinos do País não pertencem à Globo Lixo que precisa de limites, mas ao povo que não se submete a mais nenhuma lavagem cerebral. Encerro com um pensamento de Platão :   ” Aprender é  mudar de postura” …E o povo já  aprendeu e não  se deixará  ser iludido por políticos sórdidos,  cínicos e oportunistas.

Manaus/AM, 30 de Agosto de 2022.

JOSÉ ALFREDO FERREIRA DE ANDRADE

Ex- Conselheiro Federal da OAB/AM nos Triênios 2001/2003 e 2007/2009 – OAB/AM A-29

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário