É natural envelhecer

Há décadas a ciência busca uma maneira  de oferecer  um produto que regenere o corpo, aumentando sua disposição e dando-lhe uma perspectiva de vida saudável. Hoje  temos  idosos  superando os 80 anos com boa saúde. Estes, com certeza, praticaram esportes na juventude e, certamente, diminuíram suas atividades aos poucos, após os 60 anos. Contudo, complementam suas refeições com vitaminas.

Aliada a essas informações, surgiram estudos que indicam o mamão como “auxiliar no processo digestivo” por conter  papaína e fibra. Há também a presença de vitamina A e C. A semente contribui para  a perda de peso, contendo também a papaína, um vermífugo natural; bem como propriedades desintoxicantes que promovem a limpeza do fígado, o que é um elemento necessário na dieta do idoso.

Hoje, estudar o envelhecimento  do idoso chega a ser fantástico na medida em que todos cresceram de forma desigual; sofreram mudanças na juventude e ao iniciarem a vida profissional conheceram um mercado rotativo cujas influências externas foram invadindo suas mentes. Lutar não foi consequência, mas necessidade.

E, assim, o envelhecimento foi atingindo a todos. Passamos a nos preocupar  com a saúde, realizando exames duas vezes ao ano; sentimos que o exercício físico não pode ser abandonado. Cada um tem o seu metabolismo que vem sendo estudado pelos “especialistas” que buscam investigar esse processo em sua totalidade com o objetivo de “mitigar os efeitos deletérios da senescência”, conforme estudo da professora Aparecida Maria Catai, da Universidade Federal de São Carlos, que é coordenadora da pesquisa. Atualmente, mesmo  sujeito a tais efeitos os nutrientes devem ser absorvidos para uma saúde melhor, sem qualquer sintoma. Assim, o idoso será bem saudável porque tem uma melhor qualidade de vida.

Destarte, não há idade para se sentir idoso; uma vez que o envelhecimento é natural. O comportamento regrado e a experiência, na terceira idade, geram a satisfação de bem estar e o prolongamento da vida e, sobretudo,  deixam uma lição para as futuras gerações.

Manaus/AM, 18 de Abril de 2023

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário