Venda porta-a-porta de livros movimenta R$ 780 milhões no país

Segundo a ABDL (Associação Brasileira de Difusão do Livro) três entre cada quatro brasileiros jovens e adultos não têm nenhuma habilidade de leitura, com sérios prejuízos para seu desempenho profissional, renda familiar e mesmo para o próprio exercício da cidadania.
Para minimizar o problema, a entidade incentiva um mercado que se move silencioso e que para alguns, nem existe mais. puro engano. “São mais de 30 editoras especializadas no segmento e cerca de 30 mil profissionais que continuam batendo de porta em porta com uma pilha de livros, objetivando difundir ainda mais a cultura, principalmente nas periferias das grandes cidades e nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, onde dificilmente se encontram bibliotecas ou livrarias”, declarou o atual presidente da ABDL, Luís Antonio Torelli. A entidade sem fins lucrativos vem incentivando a cultura através da leitura, por meio da venda direta de livros .
Dados do setor revelam ainda que o segmento comercialize, em média, 35 milhões de livros por ano. “Em 2005, esse mercado movimentou R$ 780 milhões. Atribuímos este montante às vendas de coleções dos clássicos infantis e, atualmente, também aos livros religiosos, segmento que vem crescendo ano a ano”, afirmou Torelli.
Sobre a participação do segmento no setor editorial, o representante da organização lembrou como as vendas são representativas. “Nosso setor representa 15% do total dos livros vendidos no Brasil”.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email