Uma noite na região do Prata

Ficar de bubuia, para nós, aqui da Amazônia, é flutuar na água e se deixar ir ao sabor da correnteza. Ir ao Bubuia Restaurante, no Distrito Industrial, é se deixar ir ao sabor das delícias elaboradas pelas proprietárias do espaço, as uruguaias Frances Martin e Vicky Rugnitz. O cardápio, elaborado por elas é regional, com toques, detalhes apenas, da culinária uruguaia. Frances é de Montevidéu e está há cinco anos em Manaus, para onde veio acompanhando o marido. Vicky é de Rivera e veio para a capital amazonense há seis anos, a trabalho. As duas se conheceram e resolveram abrir o restaurante, há um ano.

Então, para matar a saudade de sua terra, as amigas idealizaram o evento temático ‘Una Noche de Tango’, que acontecerá hoje (21), a partir das 20h, com direito a shows de dança e cardápio diferenciado, especialmente desenvolvido para a noite. De acordo com Frances, a ideia é oferecer aos frequentadores do local e ao público que goste da dança portenha, uma opção diferenciada de lazer. “O Bubuia se encontra fora do ‘circuito’ Vieiralves e justamente por isso decidimos criar outro tipo de atração para diminuir as distâncias e convocar a sociedade manauara a estar mais próxima de nós”, explicou.
Para a empresária, Manaus ainda não conta com um espaço artístico que reúna cultura e gastronomia ao mesmo tempo. “Esse também foi o nosso objetivo. Criar um ambiente que vá além da gastronomia e, claro, devido às nossas raízes, queríamos que a primeira noite cultural, de
muitas que virão, tivesse um toque uruguaio, do rio da Prata. Por isso ‘Una Noche de Tango’ vai bem”, garantiu.

Segundo Frances, a ideia é abrir, em um futuro próximo, para outros ritmos. “Os próximos eventos terão outros ritmos, com certeza. Para este agora apresentaremos dois casais de dançarinos que farão suas performances lá embaixo e aqui em cima. Também não serão somente os tangos de Gardel. Haverá o moderno tecno tango e qualquer pessoa que se dispuser a dançar junto com eles, terá o salão liberado”, adiantou.

Outro espaço aberto no Bubuia é para as artes plásticas. Nas paredes do restaurante já expuseram Rubens Belém, Jair Jacqmont e agora podem ser vistas as obras de Jandr Reis. “A próxima exposição será de fotografias amazônicas, de preferência de fotógrafas. Até agora só os homens tiveram espaço. Chegou a vez de as mulheres mostrarem a sua arte”, avisou.

Toques do Uruguai
‘Una Noche de Tango’ iniciará com um serviço de drinques e uma deliciosa entradinha composta de barras de muçarela fritas acompanhadas de geleia de cupuaçu e pimenta murupi. “Sou apaixonada por culinária e me apaixonei pelos ingredientes amazônicos, então procurei criar os pratos com o que nós temos aqui”, disse. “Às 21h, inicia o show de tango, no qual serão apresentadas algumas danças mais clássicas e outras com coreografias mais elaboradas, sem esquecer do contemporâneo tendo como base o tecno tango”, adiantou Frances. Durante toda a noite, além dos dançarinos, a casa contará com música ambiente personalizada.

Já como prato principal serão apresentadas três opções: Medalhão Chimichurri (filé mignon com molho chimichurri acompanhado de batatas dauphin). “O chimichurri é um molho típico da região do rio da Prata à base de salsinha, alho, cebola, tomilho, orégano, pimenta vermelha moída, pimentão, louro, pimenta do reino negra, mostarda em pó, salsão, vinagre e azeite de oliva”, listou.

A segunda opção é o Ravioli Carusso (massa artesanal recheada com presunto e queijo com molho à base de creme de leite e cogumelo). “Não é bem um ravioli, mas demos esse nome para as pessoas saberem mais ou menos do que se trata. Minha avó fazia muito esse prato”, lembrou. A lista de pratos fecha com Pirarucu Passion (filé de pirarucu ao molho de maracujá acompanhado de batatas dauphin). “Um prato regionalizado, com acompanhamentos utilizados no Uruguai”, revelou.

De sobremesa os clientes poderão escolher entre Delícia de Cupuaçu ou Cheesecake Morango. “Estamos preparando tudo com muito carinho para que seja uma noite inesquecível, assim como são as noites no Uruguai”, recordou.

O ritmo que encanta o mundo
‘Una Noche de Tango’, evento especialmente criado pelo Bubuia Restaurante contará com shows temáticos criados pela SoulArt Danças e Eventos. As apresentações acontecerão a cada meia hora. “Durante o show, o público poderá conferir dois casais em ação, sendo um na parte superior do restaurante e o outro na inferior, tendo em vista que a casa possui dois andares. Decidimos isso para que todos possam prestigiar e se encantar com os famosos passos desse ritmo que encanta o mundo inteiro”, explicou Kauan Maia, proprietário da escola de dança.

Ele revelou que para esta noite foram escolhidos três clássicos do gênero musical. “Selecionamos ‘Por una Cabeza’, imortalizada por Carlos Gardel; ‘Tanguera’ e ‘Roxanne’, uma versão adaptada da música da banda de rock The Police e que esteve presente na trilha do filme ‘Moulin Rouge’. Todos os bailarinos estarão devidamente caracterizados, com a roupa adequada e em algum momento do show haverá uma troca de salão entre os casais”, adiantou Maia.

Ainda segundo o professor de dança, o foco do tango é passar a intensidade de um casal em passos firmes e bem elaborados. “Isso tudo com elegância e sensualidade. Todo mundo fala que é a união do amor e do ódio. É por isso que ao longo da apresentação, todos poderão ver passos e gestos que misturam os dois sentimentos, além do drama, a sexualidade, a agressividade e muitas vezes tristeza, o que o torna uma dança muito expressiva”, definiu o professor.

Dança argentina e uruguaia
O tango nasceu nas cidades portuárias de Montevidéu e Buenos Aires nas últimas décadas do século 19. Tratava-se de uma música de cunho altamente popular, desprezada e proibida pelas classes altas e pela igreja católica, sendo cultivada nos bairros pobres dos subúrbios, nos portos, prostíbulos, lugares onde se encontravam os imigrantes e a população local, descendente em sua maioria de indígenas e escravos africanos. Nesse ambiente as formas musicais mais diferentes eram misturadas: candombe, milonga, tango andaluz, sainete e valsa, provenientes das mais diversas origens como africana, espanhola, italiana, judaica, polonesa, cubana, entre outras. Foi desse processo artístico e cultural que surgiu o tango, estima-se que a transição durou cerca de 40 anos até ser marcado como um novo gênero musical com características próprias.

O tango começou a adquirir ampla difusão na Europa na década de 1910. Foi o início de uma nova era para o gênero, contava com o apoio de músicos mais preparados, incorporação de letras que falavam do cenário do subúrbio, da infância e dos amores contrariados. A dança teve papel de destaque, os passos sensuais e coreografados revolucionavam o modo de dançar da época. E tamanha sensualidade levou autoridades do velho mundo a julgarem a dança indecente. Houve, inclusive, proibições declaradas ao baile.

Não obstante, o tango seguia ganhando força, o movimento acumulava composições marcantes e de alta qualidade musical. A canção “La Cumparsita”, um dos hinos do tango, foi composta em 1916 por Gerardo Matos Rodríguez, um montevideano de apenas 19 anos. Um ano depois surgia Carlos Gardel revolucionando e popularizando o cenário do tango, desde então o gênero ganhou o mundo.

Aliás, há uma polêmica sem fim na Argentina e Uruguai no tocante à nacionalidade de Gardel: muitos dizem que ele é argentino; outros juram que ele é uruguaio com registro civil de Tacuarembó (a imagem de Gardel figura na entrada do Teatro Solis compondo o grupo de personalidades locais); e colocando mais lenha na fogueira, há a turma que garante que o grande símbolo do tango nasceu na França.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email